A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

31/03/2014 09:33

Desafio é manter a política de redução da violência, diz comandante da PM

Francisco Júnior e Leonardo Rocha
David dos Santos comandou a PM por cinco anos. (Foto: Marcos Ermínio)David dos Santos comandou a PM por cinco anos. (Foto: Marcos Ermínio)
Valter Godoy Rojas assume o comando da PM no Estado. (Foto: Marcos Ermínio)Valter Godoy Rojas assume o comando da PM no Estado. (Foto: Marcos Ermínio)

Solenidade realizada nesta manhã (31) no Palácio Tiradentes, sede do Comando Militar da Polícia Militar, em Campo Grande, marcou a troca de comandante geral da instituição. Após concluir o tempo de serviço, o coronel Carlos Alberto David dos Santos deixou o cargo e foi substituído pelo coronel Valter Godoy Rojas, que chefiava o Gabinete de Gestão Integrada de Fronteira, no interior do Estado. O novo chefe da corporação diz que o desafio é manter a política de redução da violência e priorizar a prevenção no combate ao crime.

A solenidade teve ainda formatura militar e desfile da tropa. O governador André Puccinelli (PMDB) esteve presente, além do titular da Sejusp (Secretaria de Justiça e Segurança Pública, Wantuir Jacini.

Em seu discurso, o coronel David dos Santos fez um balanço de sua gestão. “Após cinco anos a frente do comando-geral completo trinta anos de serviços prestados. Não posso permanecer na ativa, pois terei que me aposentar. Avançamos muitas metas e objetivos neste período como na valorização da carreira do profissional de segurança, na contenção dos índices de criminalidade, na qualificação do profissional, assim como na política salarial”, disse.

Ele ainda afirmou que no período em que comandou a PM implantou a filosofia de polícia comunitária, além de projetos de orientação a dependentes químicos e contra a violência doméstica. “Fizemos grandes revoluções tanto na estrutura, como na ampliação de parcerias e na promoção da corporação”, acrescentou.

De acordo com o coronel, nos cinco anos de gestão 378 oficiais tiveram promoção, além de 2.455 praças, foram realizadas mais de duas mil operações de combate ao crime, dentre eles em áreas críticas pelo tráfico de drogas como nos Bairro Nhá Nhá e Tiradentes, em Campo Grande.

Segundo ele, sua gestão ainda reduziu em zero os casos de assaltos nos táxis e transporte coletivo. “Campo Grande se tornou a segunda Capital mais segura do país e Mato Grosso do Sul o segundo Estado mais seguro do país. Por toda essa experiência vou abrir espaço para novos profissionais. Fiz o melhor que pude”, finalizou.

Já o novo comandante da PM, coronel Valter Godoy Rojas, disse que seu desafio será manter os baixos índices de violência em Mato Grosso do Sul e dar prioridade para o policiamento preventivo. “Priorizar as atividades que sejam pró-ativas. Que busquem a prevenção e não apenas ações reativas. O Governo Estadual fez muitos investimentos na polícia, além de fazer várias parcerias com o governo Federal com recursos que foram enviados para a faixa de fronteira. Valorizamos nossos policiais e iremos continuar qualificando nossos profissionais”, prometeu.

Segundo ele, sua prioridade é focar a integração entre as forças de segurança para que haja mais operações em conjunto contra crimes e atos de violência. “Gostaria de fazer um ótimo trabalho a frente da PM”, afirmou.

O governador elogiou a gestão de David dos Santos e disse acreditar que a novo comandante vai conseguir, ainda mais, diminuir os casos de violência no Estado. “Sai um ótimo comandante e entra um novo ótimo comandante. Acredito que vamos continuar a diminuir os índices de violência, além de propiciar a valorização dos policiais e a promoção dos quadros da PM. O coronel Davi junto com a Sejusp fez um ótimo trabalho para a população de Mato Grosso do Sul”.

Evento foi marcado por formatura e desfile de tropa. (Foto: Marcos Ermínio)Evento foi marcado por formatura e desfile de tropa. (Foto: Marcos Ermínio)


A policia militar de Campo Grande deveria se concentrar nos crimes que ocorrem na cidade, hoje em dia eles perdem muito tempo agindo nas blitz, sei que é importante verificar se o cidadão não está andando armado, sem documentos dele ou do veículo, verificar se o veículo não é roubado, etc, mas estas atividades deveriam ser atribuidas a nossa policia de transito, eles deveriam ser responsáveis pelas blitz e se caso achem alguma coisa fora do normal, como armas, drogas, etc, aí sim eles acionam a PM, ocorre que a indústria da multa dá um dinheirão, e a apreensão de criminosos dá um trabalhão, o governo escolhe ganhar dinheiro e ter menos trabalho, e assim o crime fica impune e a violencia sobe 1000%.
 
maximiliano rodrigo antonio nahas em 31/03/2014 12:26:54
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions