A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

02/07/2015 22:02

Docentes rejeitam contraproposta do governo e mantém greve na UFMS

Michel Faustino
Docentes decidiram mantem paralisação por tempo indeterminado. (Foto: Marcelo Calazans/Arquivo)Docentes decidiram mantem paralisação por tempo indeterminado. (Foto: Marcelo Calazans/Arquivo)

Os docentes da UFMS ( Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) decidiram em assembleia realizada na tarde desta quinta-feira (02) recusar a contraproposta do governo federal, que previa o pagamento do reajuste de 21,3% fracionado por quatro anos, e manter a greve por tempo indeterminado. Os servidores reivindicam o pagamento de 27,3% em janeiro de 2015, sem parcelamento.

O presidente da ADUFMS-Sindicato, professor José Carlos da Silva, explicou que a “pífia” resposta do Executivo Federal desconsidera, por exemplo, a inflação deste ano, cuja previsão é de que chegue a 9%. "Nossa proposta é um reajuste para repor perdas", disse.

A vice-presidente da ADUFMS-Sindicato, professora Mariuza Aparecida Camillo Guimarães, considera a proposta “descabida e fora da realidade”.

"Não podemos cair nessa esparrela de aceitar parcelamento até 2019. O próprio governo federal reconhece o quadro de arrocho instaurado, que prejudica trabalhadores e trabalhadoras. O país atravessa uma conjuntura de restrição fiscal, com as taxas de desemprego subindo e o salário real em queda", argumenta.

Conforme o movimento grevista, A docência das instituições federais de ensino superior vem amargando defasagem salarial em decorrência de um acordo feito entre a Federação de Sindicatos de Professores e Professoras de Instituições Federais de Ensino Superior e de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (Proifes-Federação) e o governo central em 2012, que parcelou o reajuste até 2015.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions