A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

26/01/2013 15:38

Em assembleia, vigilantes decidem por greve a partir de fevereiro

Francisco Júnior
Assembleia foi realizada na noite de ontem. (Foto: Divulgação)Assembleia foi realizada na noite de ontem. (Foto: Divulgação)

Em assembleia na noite de ontem na sede do Seesvig (Sindicato dos Empregados em Empresas de Segurança Privada), os vigilantes de Campo Grande e região aprovaram greve por tempo indeterminado a partir do dia 1º de fevereiro.

A categoria quer que as empresas cumpram a Lei 12.740, sancionado no final do ano passado pela presidente Dilma Roussef, que prevê o pagamento do novo adicional de periculosidade da categoria, que teve um reajuste de 15% para 30% desde o dia 10 de dezembro de 2012.

A greve aprovada pelos vigilantes de Campo Grande e Região também foi acompanhada pelos vigilantes de Dourados e Naviraí e suas bases de atuação.

Para o presidente do Seesvig, Celso Adriano Gomes da Rocha, a decisão de caminhar pela greve é a vontade de toda a diretoria do sindicato, lembrando que três empresas do setor já optaram pelo pagamento e outras duas fizeram compromissos de pagar, mas até o início da assembleia não tinham feito o pagamento. As demais empresas do setor encaminharam documentos ao sindicato reafirmando a intenção de não cumprir a lei, mesmo tendo reconhecido o benefício em convenção.

Hoje (26), os diretores dos sindicatos que representam a categoria em Campo Grande, Dourados e Naviraí assinaram o edital para publicação em jornal de circulação diária e na segunda-feira (28) terá início o prazo de 72 horas para o início da greve, que coincidirá com a paralisação nacional dos Vigilantes de todo o país no dia 1º de fevereiro de advertência.

Vigilantes podem deflagrar greve a partir de 1º de fevereiro
Os trabalhadores do setor de vigilância e segurança privada de Mato Grosso do Sul podem deflagrar greve a partir do dia 1º de fevereiro em protesto a...
Carro roubado no RJ é recuperado em estrada rumo ao Paraguai
Um automóvel recentemente roubado no Rio de Janeiro foi recuperado por policiais militares em uma estrada vicinal de Japorã –a 487 km de Campo Grande...


Os vigilantes cuidam da segurança e expõem suas vidas como os policiais e o salário de um vigilante não chega a metade, o que é uma injustiça, pois estão exposto a alta criminalidade que vivemos nos dias de atuais e ainda trabalham em locais propícios a ocorrer assaltos, colocando o bem mais precioso que é a vida em risco.
Se for necessário fazer greve, façam mesmo, lutem pelos direitos de vocês!
 
liliane queiroz de oliveira em 01/02/2013 23:51:30
Apoiado!!!

Profissionais que zelam pela nossa segurança no dia-a-dia merecem mais respeito!
 
Marcio Brunholi em 26/01/2013 16:01:00
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions