A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 20 de Setembro de 2018

17/09/2017 16:17

Organização não registra ocorrências e gabarito preliminar sai até quarta-feira

Prova ocorre em três cidades e tem aparelho para identificar se candidato tentar fraudar teste

Mayara Bueno e Mirian Machado
Candidatos chegando para prova de concurso, à tarde (Foto: Mirian Machado)Candidatos chegando para prova de concurso, à tarde (Foto: Mirian Machado)

Ao menos pela manhã, o Concurso da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul transcorreu tranquilamente, conforme o secretário de Administração e Desburocratização, Carlos Alberto Assis. Neste domingo, dia 17, quase 15 mil candidatos fazem a prova para investigador de polícia.

"Tudo está correndo muito bem", disse o titular, ressaltando o trabalho da Fapems (Fundação de Apoio à Educação, ao Ensino e à Cultura de MS), realizadora do concurso, "que cuidou para que a Estado tivesse tranquilidade para fazer o maior concurso da região Centro-Oeste e maior da história de MS".

Aparelhos cedidos pela Anatel, assim como aconteceu no teste para delegado, em 20 de agosto, estão nas três cidades onde ocorrem a prova de hoje: Na Uniderp, em Campo Grande, Dourados e Paranaíba.

O equipamento, que chega a um raio de 400 metros, serve para identificar sinais de celular e rádio, para saber se candidatos tentam fraudar o concurso. "Para que não tenha nenhum vazamento, de dentro para fora e vice-versa".

Prova - A aplicação do teste acontece neste domingo desde às 7 horas. A segunda etapa da prova iniciou às 15 horas.

Do pessoal que chegou de manhã, pelo menos dois candidatos não conseguiram entrar no local de prova. Um deles achou que o teste começaria às 7h30 e outra concorrente chegou a entrar no bloco, mas percebeu que estava sem documento pessoal.

Marco Aurélio Rodrigues, 31 anos, é funcionário público e já passou em outros quatro concursos. Veio de Goiânia (GO) para "testar" seus conhecimentos. Ele pretende tentar para policial civil do Distrito Federal.

Do mesmo estado, Weverton Batista de Souza, 30 anos, disse que é autônomo e apesar de o salário não ser tão atrativo, a procura é pela estabilidade.

São 30 vagas para delegado, cuja prova aconteceu em 20 de agosto, 100 para escrivão e 80 para investigador da Polícia Civil.

Para o cargo de delegado está sendo oferecido salário de R$ 14.978,26. Já para os cargos de escrivão e investigador e escrivão o salário inicial é de R$ 3.888,26.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions