A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 18 de Outubro de 2017

05/01/2015 15:49

Sistema muda e nova carteira de trabalho só com agendamento on-line

Liana Feitosa
Emissão só é feita mediante a agendamento prévio feito na internet. (Foto: Marcelo Calazans)Emissão só é feita mediante a agendamento prévio feito na internet. (Foto: Marcelo Calazans)

A SRTE/MS (Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Mato Grosso do Sul) voltou a emitir carteiras de trabalho. Entre os dias 15 e 29 do mês passado o serviço ficou suspenso para que fosse feita a migração do banco de dados da instituição para o MTE nacional, em Brasília.

No entanto, as emissões passaram a depender de procedimentos on-line e, por isso, ocorrem somente mediante a agendamento na sede do Ministério e na Funsat (Fundação Social do Trabalho). 

A migração do banco de dados foi necessária porque não havia controle informatizado sobre as carteiras de trabalho emitidas no país. "O documento passou a ser impresso em papel moeda para dificultar a ação de falsificadores, processo que era feito em Brasília. Mesmo assim, precisávamos incluir nessas carteiras duas folhas aqui no Mato Grosso do Sul, o que causava lentidão no serviço", contextualiza Anízio Pereira Tiago, superintendente da SRTE/MS .

Essa forma de emissão foi, então, modificada em Brasília, conectando o sistema nacionalmente. "Hoje, em Mato Grosso do Sul, todos os postos de emissão de carteiras estão informatizados. A ideia é que, com isso, os nove pontos de atendimento no Estado, além de prefeituras, Funsat e Funtrab (Fundação do Trabalho), emitam e entreguem o documento na hora ao trabalhador, sem esperar", completa o superintendente.

Internet - "No entanto, os meios de transmissão dos dados, que são centralizados em Brasília, saem com muita frequência do ar, já que o sistema é on-line. Além disso, depender da tecnologia em algumas cidades do interior do Estado é um desafio muito grande", amplia Anízio. 

Informatização foi implantada para dar mais segurança ao documento. (Foto: Marcelo Calazans)Informatização foi implantada para dar mais segurança ao documento. (Foto: Marcelo Calazans)

Segundo o superintendente, desde a sexta-feira (2) o trabalhador deveria sair com o documento nas mãos no ato da emissão, mas as constantes quedas do sistema afetam, não só esse serviço, mas também todos os outros oferecidos no Ministério do Trabalho.

A informatização do sistema foi necessária, principalmente, para conceder mais segurança ao documento, que é alvo constante de falsificações e utilização indevida, como para beneficiar, irregularmente, pessoas com seguros-desemprego.

Para agendar atendimento para emissão da carteira de trabalho, o interessado precisa se cadastrar no SAA (Sistema de Atendimento Agendado), pela internet.

Em Campo Grande, a espera é de cerca de uma semana, já que as emissões ocorrem somente na SRTE/MS e na Funsat.

Prefeitura abre concurso com 99 vagas e salários de até R$ 9,6 mil
A prefeitura de Guia Lopes da Laguna, distante 227 km de Campo Grande, abriu edital com 99 vagas em concurso público, para profissionais de nível fun...
Prefeitura convoca candidatos aprovados em dois processos seletivos
A prefeitura de Campo Grande publicou nesta terça-feira (17), convocação de candidatos aprovados em dois processos seletivos. Os aprovados precisam e...
Especialização na área de saúde com bolsa de R$ 3,3 mil inscreve até esta terça
Termina nesta terça-feira (dia 17) o prazo para inscrição ao Programa de Residência Multiprofissional Integrada em Saúde. A iniciativa é da Uniderp, ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions