A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

15/08/2013 15:42

Era “constrangedor” gerir e fiscalizar Santa Casa, afirma ex-secretário

Edivaldo Bitencourt e Bruno Chaves

O ex-secretário municipal de Saúde de Campo Grande, Leandro Mazina, afirmou, em depoimento à CPI da Saúde da Assembleia Legislativa, que era “constrangedor” ser o administrador e ao mesmo tempo o responsável pela fiscalização da Santa Casa de Campo Grande. Ele comandava a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) na época da intervenção.

Mazina disse que a intervenção continuou por decisão da Justiça. “Era uma situação desconfortável e constrangedora, mas era uma decisão judicial”, justificou. Ele comandava a gestão do SUS (Sistema Único de Saúde), que responde por 80% da receita do hospital, o maior do Estado.

O ex-secretário responsabilizou o grande número de acidentes de trânsito pelo caos no atendimento na Santa Casa, que continuou o mesmo após oito anos sob o comando do poder público. “Vivemos uma epidemiologia do trauma”, justificou-se.

Contudo, apesar dos deputados terem dito que não houve melhoria na instituição, Mazina disse que “houve investimentos em vários locais”, como CTI (Centro de Terapia Intensiva), cardiologia e outros setores.

Ele ainda frisou que sem a intervenção na Santa Casa, que ameaçou fechar as portas para obrigar o prefeitura a elevar o repasse, a situação da saúde pública poderia ser muito pior.

O depoimento na CPI da Saúde começou com 30 minutos de atraso e continua na Assembleia Legislativa.



El Kadri ...? Não atende nem 1% do total da Santa Casa, não tem traumatologia, apenas eletivas meu caro. Hospital do Coração, idem. Santa Marina, só convênios ou particulares. Acho que você mora em outra cidade, não é possível ! Se a Santa Casa não receber aporte financeiro do teu Prefeito, que é o gestor da saúde municipal, claro que o caos continuará , pois a Santa Casa, arca com a saúde do SUS do Estado meu amigo! Mas o teu Prefeito, pelo visto não está nem aí. O povo que se dane.
 
arnobio luiz em 15/08/2013 19:10:09
Repito: Os governos federal, estadual e municipal devem investir e construir, urgentemente, o Hospital/Pronto-Socorro Municipal de Campo Grande. A falta de leitos para os pacientes atendidos pelo SUS é muito grande; vejam os corredores do HR e os "mangueirões" do PS da Santa Casa para verificarem o caos. No curto prazo melhorar os serviços já existentes e comprar aqueles que não os tiverem. Bons exemplos não faltam: Hospitais El Kadri, do Coração, Santa Marina, ambulatório de oncologia de Barretos e nem dinheiro........
 
Oswaldo Rodrigues em 15/08/2013 17:29:37
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions