A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

11/10/2014 11:19

Estado deu oportunidades até para quem tinha casa na beira da praia

Alan Diógenes
Maria Helena trocou de profissão e se mudou para MS em busca de sucesso e uma nova vida. (Foto: Marcelo Calazans)Maria Helena trocou de profissão e se mudou para MS em busca de sucesso e uma nova vida. (Foto: Marcelo Calazans)

Neste sábado (11) faz 37 anos que o Estado de Mato Grosso foi dividido em dois, criando Mato Grosso do Sul. Para muitos o desmembramento criou uma emancipação econômica e social para as duas regiões e valorizou o Centro-Oeste. Atraídas pelo desenvolvimento, algumas pessoas vieram de outros estados brasileiros em busca de novas oportunidades de emprego no Estado.

É o caso da corretora de imóveis Maria Helena, 63 anos, que veio do interior de São Paulo primeiramente para Mato Grosso procurando melhores chances na agricultura, quando ainda era produtora rural. “Nós vendemos nossos terrenos menores por um valor lá para comprarmos áreas mais baratas e maiores por aqui. Fizemos tudo isso para levantar nossa economia”, contou.

Ainda morando em Mato Grosso, Maria de vez em quando passava por Campo Grande. Em meados de quando aconteceu a divisão do Estado, o seu marido faleceu e ela teve que decidir se voltava para São Paulo, se iria para o Paraná ou se vinha para a Capital.

Maria não teve dúvidas, rendeu-se aos encantos da cidade e se mudou com os dois filhos para a Campo Grande para uma nova vida. “Larguei a agricultura e tive que começar do zero. Aqui na Capital me formei em Gestão em Negócio Imobiliário. Foi a cartada certa, porque sabemos que em Mato Grosso do Sul a área da construção civil está em alta. Não me arrependo desses rumos da minha vida, porque, aqui, sim, tive sucesso”, comentou.

A corretora de imóveis não poupou elogios em relação ao Mato Grosso do Sul. “Gosto do clima que não é frio, gosto do povo e da maneira em que o Estado é conduzido. Nunca faltou água em minha casa e o lixeiro nunca deixou de passar. Aqui eu posso sentar na frente de casa sem preocupação de ser assaltada”, mencionou.

Paulo passou por 18 estados, mas se rendeu aos encantos de MS. (Foto: Marcelo Calazans)Paulo passou por 18 estados, mas se rendeu aos encantos de MS. (Foto: Marcelo Calazans)
André escolheu MS por ser um estado promissor e em pleno desenvolvimento. (Foto: Marcelo Calazans)André escolheu MS por ser um estado promissor e em pleno desenvolvimento. (Foto: Marcelo Calazans)

Natural de Joinville (SC), o DJ e professor universitário André Luiz Souza Stella, 29, estava a procura de uma cidade em pleno desenvolvimento para morar e trabalhar. Lendo uma revista de repercussão nacional, ele viu um levantamento que mostrava Campo Grande entre as cidades mais promissoras do país.

Na mesma época ele tinha ido em um evento em Curitiba (PR), onde conheceu seu companheiro que é campo-grandense e estava em um congresso na cidade. Foi a partir daí, que André enxergou os dois grandes motivos para se mudar para o Mato Grosso do Sul. “Vim visitar ele e acabei me apaixonando pela Capital e pelas cidades do interior do Estado. Aqui tudo é muito planejado, as ruas são largas e arborizadas. Sem falar que a vida noturna é bastante agitada e por isso me dei bem como DJ por aqui”, explicou.

André também destaca o avanço da educação no Estado. “Eu jamais imaginaria que daria aula em uma universidade e aqui consegui. O máximo que eu achei que iria conseguir era dar aulas em escolas regulares. Acredito que os sul-mato-grossenses são capacitados e o mercado de trabalho, que é muito abrangente, enxergou isso”, ressaltou.

Depois de passar por 18 estados brasileiros, o profissional de comunicação especialista em web, Paulo Victor Dias da Silva, 46, escolheu Mato Grosso do Sul para morar com a mulher e os dois filhos pelos vínculos sociais que teve a oportunidade de fazer no Estado. “As pessoas sempre me diziam que os sul-mato-grossenses eram um povo fechado. Quando cheguei aqui pude perceber que essa não é uma maneira de afastamento das pessoas é sim a cultura do Estado. Aqui quando você faz um amigo ou tem um vizinho é para a vida inteira, algo profundo, e não superficial como em outros lugares”, apontou.

Paulo gostou tanto do Estado, que tem o desejo de ter nascido aqui. “Sinto inveja de quem nasceu aqui, por que quem nasceu conhece todo mundo. Já me perguntaram por que troquei minha casa na beira da praia para morar no Estado, e eu sempre digo a mesma coisa, por que aqui eu encontrei uma confraternização com o próximo que eu jamais tinha visto em outro lugar”, finalizou.

André (no meio com amigos) viu em MS um vida noturna agitada o que somou a sua carreira de DJ. (Foto: Arquivo Pessoal)André (no meio com amigos) viu em MS um vida noturna agitada o que somou a sua carreira de DJ. (Foto: Arquivo Pessoal)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions