A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

19/11/2014 11:53

Estado ganha 393 novos policiais e convocação depende de Reinaldo

Liana Feitosa e Leonardo Rocha
O meu sucessor tem que fazer igual ou, no mínimo, empatar com a gente porque a sua obrigação é ser melhor ainda, afirmou o governador. (Foto: Marcelo Calazans)"O meu sucessor tem que fazer igual ou, no mínimo, empatar com a gente porque a sua obrigação é ser melhor ainda", afirmou o governador. (Foto: Marcelo Calazans)

Durante formatura de 393 policiais civis, o governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli (PMDB), transferiu a responsabilidade da convocação de todos os aprovados no concurso da Polícia Civil ao sucessor, o governador eleito, Reinaldo Azambuja (PSDB).

A afirmação foi feita no Centro de Convenções Arquiteto Rubens Gil de Camillo durante solenidade de formatura. Foram 814 candidatos aprovados no concurso, mas as vagas foram destinadas a 575. "Se o próximo governador quiser que todos os aprovados sejam convocados, ele precisa colocar isso por escrito e entregar pra mim. E, então, chamarei todos para iniciarem o curso de formação já em dezembro", determina Puccinelli.

Novas convocações - Ao todo serão convocados 575 policiais civis, sendo que 405 foram solicitados na primeira chamada, cuja turma de formou hoje. A segunda convocação chamará mais 150 futuros policiais, cujas aulas começam em dezembro.

Dos 405 chamados na primeira turma, 33 não conseguiram se formar com a turma que participou de solenidade de hoje, por isso, esses 33 serão os próximos da lista da segunda chamada, de acordo com Puccinelli. "Eu vou cumprir o que já tinha sido estabelecido, por isso que pago minhas contas em dia. Não gosto de jogo de empurra, vou fazer o que já estava planejado no orçamento", afirma o governador.

A solenidade foi voltada aos alunos dos cursos de formação policial sendo 95 escrivães, 259 investigadores, 20 peritos papiloscopistas e 18 peritos criminais. A nova turma já começa a trabalhar no dia 01 de dezembro depois de passar pelo curso que teve duração de 600 horas com aulas práticas e teóricas.

Reinaldo deve fazer mais - Para Puccinelli, a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública tem desenvolvido um bom trabalho. "Não somos infalíveis, mas estamos melhores que a média brasileira na resolução dos casos", disse, ao citar que Mato Grosso do Sul soluciona cerca de 70% dos crimes, enquanto a média nacional é de aproximadamente 30%.

Para ele, já que o Estado soluciona cerca de 70% dos casos, a expectativa é que esse número aumente daqui para frente, quando seu sucessor assumir o cargo. "O meu sucessor tem que fazer igual ou, no mínimo, empatar com a gente porque a sua obrigação é ser melhor ainda", afirmou.

Na ocasião, Puccinelli também agradeceu o staff de segurança pública pelos quase oito anos de serviços prestados e afirmou que despartidarizou o departamento do Estado quando convidou o secretário Wantuir Jacini para assumir a pasta.

Interior do Estado é destino da maior parte dos policiais formados hoje, segundo orge Razanauskas. (Foto: Marcelo Calazans)Interior do Estado é destino da maior parte dos policiais formados hoje, segundo orge Razanauskas. (Foto: Marcelo Calazans)

Secretário - Para Jacini, a formação de mais uma turma de policiais indica que o Estado está cumprindo seu papel. Ele lembrou que, além da Polícia Civil, já houve concurso para a Polícia Militar, para a Agepen/MS (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário de Mato Grosso do Sul). "Isso demonstra o compromisso firmado pelo governador André quando assumiu o governo", afirma.

De acordo com José Diogo Tavares, orador da turma de formados, na academia os alunos passaram por testes intelectuais e psicológicos, e foram testados em questões como ética, disciplina, auto-controle e conduta para conseguir se formar. "O curso não é apenas de conhecimento e, sim, a realização de um sonho que é ser policial, sonho que tenho desde criança", conta.

Déficit - Segundo Jorge Razanauskas, delegado geral da Polícia Civil, atualmente o efetivo conta com mais de 1.900 policiais. "A Polícia Civil tem como objetivo dar a sensação de segurança para a sociedade do Estado. Por isso, a maioria desses policiais que foram formados hoje vai para o interior, principalmente para a região de fronteira, para cidades como Três Lagoas, Dourados, Caracol, entre outras regiões da faixa de fronteira", explica.

Para ele, não há déficit no efetivo, apesar de existirem muitas demandas, como a necessidade de estabelecer plantões nas delegacias da mulher. Por isso, o delegado vê com otimismo a formação de novas turmas.

Novas viaturas - Até o final do ano o governador espera entregar mais 166 viaturas para reforçar a segurança do Estado. A entrega estava programada para o início deste mês, no entanto, foi reagendada para o início de dezembro devido a questões burocráticas. "Estamos cuidando do emplacamento, seguro das viaturas e de outros detalhes para que, quando forem entregues, esteja tudo resolvido", explica.

Segundo o secretário Jacini, ao longo dos sete anos anos de administração de Punccinelli foram investidos mais de R$ 90 milhões na compra de 1.671 novas viaturas para as polícias do Estado. Desse valor, R$ 60,2 milhões foram recursos próprios do governo do Estado e de convênios.

Formaram 393 policiais civis no Centro de Convenções Arquiteto Rubens Gil de Camillo. (Foto: Marcelo Calazans)Formaram 393 policiais civis no Centro de Convenções Arquiteto Rubens Gil de Camillo. (Foto: Marcelo Calazans)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions