A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

18/10/2011 12:42

Operação conjunta da Agepan, Agetran e PM coíbe transporte clandestino de passageiros entre Campo Grande e Sidrolândia

Edmir Conceição
Moto apreendida com suspeita de transporte irregular de passageiros.Moto apreendida com suspeita de transporte irregular de passageiros.
Fiscais fazem barreira na MS-060 em operação para coibir o transporte clandestino de passageiros. Fiscais fazem barreira na MS-060 em operação para coibir o transporte clandestino de passageiros.

Pelo menos um veículo foi apreendido, um motorista foi notificado em fiscalização conjunta da Agetran, Polícia Militar e Agepan (Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos) na MS-060, entre Campo Grande e Sidrolândia. A barreira foi montada no km 369 da rodovia. Em razão da distância considerada curta, de 60 quilômetros, muitos moradores de Sidrolândia trabalham em Campo Grande e acabam estimulando o transporte informal, clandestino.

Em outra ação, na região do bairro Los Angeles, área urbana da Capital, fiscais apreenderam uma motocicleta que já estava sendo monitorada por fazer o transporte de passageiros em alvará de mototáxi. Os dois veículos apreendidos (VW/Gol e motocicleta) fo0i guinchados.

De acordo com a Agepan, há informação de que 60 veículos, dos diversos modelos, incluindo vans, fazem o transporte de passageiros diariamente, cobrando preços que variam de R$ 10 a R$ 15. A Agência nota que para coibir o transporte clandestino é preciso a colaboração do passageiro, atentando para o fato de que a falta de regulação impõe riscos ao usuário do transporte.

O veículo irregular não passa por vistoria, não há garantia de manutenção regular o veículo e não há como exigir padrão de atendimento. “É uma preocupação que passa pela segurança, pela mecânica, pelas condições de transporte, higiene e limpeza”, informa a Agepan, que já desenvolve um programa de qualificação do transporte regular de passageiros.

Temer veta projeto sobre negociação coletiva no serviço público
O presidente Michel Temer vetou integralmente o Projeto de Lei nº 3.831/15, aprovado pelo Congresso Nacional, que estabelecia normas para a negociaçã...
UFMS divulga edital do vestibular para ingresso em cursos de graduação
A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) divulgou, nesta segunda-feira (18), edital do processo seletivo do vestibular para ingresso em cu...


Realmente se o poder público desse condições de transporte teríamos muito menos prática de trasnporte clandestino.
Acho a carona um transporte legal. Nos grandes centros a prática da carona é incentivada. Mas sou contra a prática do transporte clandestino que visa determinadas trocas. Dentre eles está o transporte de políticos.
AGEPAN poderia fiscalizar isso em várias cidades do MS.
 
Itacir Pastore em 25/10/2011 03:56:01
o transporte "clandestino" surge para cobrir a deficiência do transporte chamado formal, se realmente a comunidade tivesse um transporte público de qualidade, deixaria de se "arriscar" nos chamados clandestinos, durante alguns anos trabalhei em Sidrolândia e morando em Campo Grande, e era muito raro eu vir com o carro vazio, sempre na saída para Campo Grande tinha várias pessoas solicitando carona
 
Luciano Monteiro em 18/10/2011 06:32:01
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions