A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

17/07/2010 07:00

Fogueira contra o frio oferece risco para as crianças

Redação

Na falta de um cobertor ou um casaco mais grosso, os habitantes da favela Cidade de Deus, na região Sul da Capital, aproveitam os galhos e madeiras encontrados no lixão para improvisarem fogueiras, que servem para cozinhar e esquentar as famílias.

O que seria uma solução para o frio acaba se tornando um risco para as famílias, sobretudo as crianças.

Na casa de Derosanto Romero, de 67 anos, a fogueira foi montada na parte externa da casa, que tem as paredes de madeira e papelão.

"Não tem perigo não, eu cuido direitinho", garante o idoso.

O fogo é usado para aquecer a família e cozinhar o alimento na casa onde moram mais quatro pessoas.

Márcia Surubi veio de Corumbá há alguns anos e reside no Dom Antonio Barbosa desde então.

A sobrevivência da família vem dos artigos recolhidos no lixão, incluindo as toras de madeira utilizadas na fogueira.

"A gente sabe dos riscos, mas não tem outro jeito para espantar o frio. Dentro de casa é mais frio que aqui fora", confessa Melissa Surubi, filha de Márcia.

Mesmo nestes dias mais gelados a família vai ao lixão à noite para conseguir juntar material reciclável para venda.

"Com frio ou sol, o estômago ronca e a gente tem que pôr comida na mesa", finaliza Márcia.

O uso de fogueira se repete em diversos barracos, como na residência de Paulicéia Lopes da Silva e José Vilmar de Lima.

O casal mora em uma casa com três cômodos de madeira.

Diferente de outros locais, a fogueira na varanda é para deixar o ambiente mais quente.

"Não há quem aguente um tempo desses. Só esse foguinho já ajuda", conta José.

O problema é que o "foguinho" produz muita fumaça, enchendo os cômodos de gases tóxicos, que podem ser prejudiciais à saúde, sobretudo da pequena Isabela, filha do casal, que dorme com os dois na cama.

O Corpo de Bombeiros orienta as famílias para que, quando for necessário dormir com as crianças em uma mesma cama, para que arrumem o local como se fosse um ninho, para evitar sufocamento do menor.

Além disso, as fogueiras devem ser evitadas, pois o fogo pode se alastrar facilmente, destruindo o barraco.

Mega-Sena acumula de novo e prêmio estimado sobe para R$ 43,5 milhões
Mais uma vez a Mega-Sena ficou sem vencedor na faixa principal e, com isso, a premiação acumulou e pode chegar a R$ 43,5 milhões no próximo concurso,...
Mega-Sena pode pagar R$ 39 milhões no sorteio deste sábado
A Mega-Sena deste sábado (16), que está acumulada, pode pagar R$ 39 milhões para quem acertar os seis números. O concurso 1.997 ocorre às 20 horas, h...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions