A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

13/12/2010 13:37

Governo de MS decide que só manterá escolas com mais de 200 alunos

Marta Ferreira

Só escolas indígenas e em comunidades quilombolas serão preservas

Uma resolução publicada hoje pela Secretaria de Educação de Mato Grosso do Sul estipula que só serão criadas ou mantidas escolas na rede estadual caso o número de alunos seja de pelo menos 200.

A exceção são as escolas indígenas e localizadas em comunidades quilombolas, que serão mantidas mesmo com número inferior ao previsto na resolução, conforme o texto.

A medida informa que escolas fora dessas categorias que tenham menos de 200 estudantes vão ser desativadas ou transformadas em extensão de outros estabelecimentos de ensino.

O Governo de Mato Grosso do Sul mantém, hoje, 350 escolas, e o número total de alunos é de 300 mil.



O governo do Estado de Mato Grosso do Sul com essa resolução não só contribui com o êxodo rural, mas também agrava os problemas nas cidades. Porque a maioria não tem casa na cidade e, consequentemente, vão morar em situações precárias na periferia, tornando suas vidas ainda mais difícil.
O dinheiro usado na educação não pode ser visto como gasto, mas sim como investimento. Muitas escolas rurais e dos distritos atendem algumas comunidades indigenas que ainda não têm a posse definitiva de suas terras, consequentemente, elas não recebem qualquer ajuda oficial, pelo ou menos no que concerna a educação. Assim, pedimos ao Senhor Governador que analisasse essas situações específicas. Não estamos fazendo uma crítica, estamos vendo a situações de crianças e adolescentes que já levantam 5 horas da manhã, enfrentam de 10 a 20 quilômetros de estradas ruins com pontes não raras às vezes caindo para chegar a uma escola de um distrito e, obrigar essas crianças ir até a sede do munícipio significa ainda viajar mais 20 quilômetros de estradas nas mesmas condições. Isso é justo? Traficantes viajam de avião de um estado a outro, nossos filhos não têm um direito nem de viajar em ônibus descentes, com estradas descentes e estudar mais perto de suas casas. Muitos não estão preparados para enfrentar a rotina e os perigos que as cidades oferecem.
 
Luis Carlos de Andrade em 21/12/2010 08:19:57
O aluno do campo que vem estudar na cidade não volta mais ao campo. Vejam onde começa o êxodo rural.
 
nadir giacomini em 13/12/2010 05:46:12
O que o governo tá fazendo é onera mais as prefeiruras, onde o sistema de transporte é precário, as estradas não contam com partipação efetiva do estado e agora mais essa bomba, do jeito que as coisas estão andando provavélmente haverá uma grande n° de alunos fora da escola, pór falta de estrutura dos municipios.
se o governo não da conta imagine as prefeituras.
 
gilson alves de souza em 13/12/2010 05:11:40
O governo de MS, não entra em acordo com os professores sobre reajuste salarial...e agora vai fechar escolas...este governo é contra a EDUCAÇÃO?
 
Adenilson Cristaldo em 13/12/2010 04:31:17
Essa resolução demonstra, o interesse do nosso governo com a educação de nossas crianças! lamentável!
 
francisco ojeda em 13/12/2010 02:00:34
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions