A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

01/01/2014 10:50

Governo vai elevar de 3,5% até 5,25% contribuição patronal à Cassems

Zana Zaidan e Edivaldo Bitencourt

O Governo do Estado vai elevar a contribuição patronal à Cassems (Caixa dos Servidores de Mato Grosso do Sul) dos atuais 3,5% para 5,25% em seis anos. A medida atende reivindicação dos servidores e do plano de saúde, que precisa elevar a arrecadação para atender os novos serviços determinados pela Agência Nacional de Saúde Suplementar. 

Após três meses de negociações, o governo do Estado sancionou a lei que concede a paridade entre patrões e servidores públicos na contribuição à Cassems. Conforme a nova legislação, a partir de dezembro deste ano, o governo passa a contribuir com 3,75% no pagamento do plano de saúde dos servidores, percentual reajustado anualmente até atingir a paridade, com 5,25% em dezembro de 2020.

Hoje, os trabalhadores do Estado pagam à Cassems 5,25% do valor do salário, enquanto o governo do Estado repassa 3,5%.

Reajuste – Mesmo com a vitória da paridade, construída em uma série de reuniões entre o governador André Puccinelli (PMDB), o presidente da Cassems, Ricardo Ayache, e representantes do Fórum dos Servidores Públicos Estaduais de MS, a previsão é que ainda haja necessidade de reajuste nos 5,25% pagos pelos trabalhadores já em 2014. O percentual pode chegar a 6%.

A medida será definida em uma assembléia dos servidores, que acontecerá em fevereiro deste ano, explica o membro do Fórum e do Conselho Administrativo da Cassems, Geraldo Gonçalves.

“Além desta negociação com o governo, a longo prazo, de imediato a Cassems precisa de um extra de R$ 2 milhões por mês para conseguir cumprir as regras da ANS”, explica Gonçalves.

Entre as propostas a serem discutidas da assembléia, além do próprio aumento na contribuição pelo servidor, está a cobrança também dos dependentes (“Hoje, há um disparidade, se o servidor não tem nenhum filho, paga 5,25%, se tem dez, paga o mesmo”, argumenta o conselheiro), e o aumento na participação do custeio de exames médicos – hoje, o servidor paga 10% do valor exame, enquanto a Cassems banca 90. “A sugestão é subir para 20 ou 30%, mas estabelecemos que este percentual pode corresponder, no máximo, a R$ 70, para não pesar no bolso”, acrescenta.

Os representantes do Fórum apresentaram estas soluções como forma de manter a qualidade dos serviços oferecidos pela Cassems, mas qualquer mudança será definida na assembléia. Em julho, o presidente da empresa de planos de saúde, Ricardo Ayache, já havia previsto o aumento devido aos 29 novos procedimentos a serem obrigatoriamente oferecidos a partir deste mês, por determinação da ANS (Agência Nacional de Saúde).

A proposta é que a soma da contribuição do governo e dos servidores totalize 12% para custear a ampliação da cobertura.

Veja como ficará a contribuição do Governo do Estado à Cassems:

A partir de dezembro de 2014: 3,75%
A partir de dezembro de 2015: 4%
A partir de dezembro de 2016: 4,25%
A partir de dezembro de 2017: 4,5%
A partir de dezembro de 2018: 4,75%
A partir de dezembro de 2019: 5%
A partir de dezembro de 2020: 5,25%



Vamos comprar e construir mais hospitais para que estes parasitas continuem fazendo política com o nosso dinheiro.E quando faltar grana é só aumentar a contribuição que os bestas estão prontos para pagar.Diretoria de incompetentes.
 
Alfredo Knorr em 02/01/2014 15:30:38
Exatamente como na prefeitura, não vai eleger sucessor e está deixando o próximo governador cheio de dívidas, entre elas aumento dos servidores e esta contribuição agora, chama-se fazer cortesia com o chapéu alheio.
 
Flavia Andrade em 02/01/2014 09:13:24
Isto é uma pouca vergonha, os funcionários do Estado pouco ou nada faz, a maiorias é mulheres onde seus maridos são seus dependentes e todos usam a CASSEMS , o Presidente Ricardo, só fazendo politicagem , e o Governo arrumas mais conta para os trabalhadores que enfrentam filas de esperas nos \postos pagarem. Não sei se é melhor continuar vivo ou morrer a trabalhar para os parasitas do povo
 
Jorge Amorim em 02/01/2014 08:58:37
haja exploração.
 
delmar lopes em 02/01/2014 00:11:55
Parabéns Ricardo Ayache, melhor gestão da história da CASSEMS, sucesso !
 
Caio Magno Duncan Couto em 01/01/2014 18:04:28
Aff ta ficando caro manter um plano de saúde, se paga muito impostos e não se tem serviço de qualidade, poderia cortar custo nessa cassems tem um monte de gente que fica só coçando indicado.
 
amanda keity em 01/01/2014 16:08:47
Sr. Ricardo Ayache, pergunto quantos executivos compõe o quadro de Direção da Cassems e qual o impacto de seus vencimentos para o plano. O que nós almejamos enquanto associados são mais médicos no interior, com uma remuneração condizente, visto que os já associados queixam-se do repasse e oferecem, portanto, um tratamento aquém do desejado; queremos também que o plano seja mais ágil e menos burocrático na aprovação de novos médicos, que é outra reclamação deles, alíás, aqui em Chapadão do Sul sequer o sistema é decentemente informatizado. Agora o que nós não precisamos é de hospitais suntuosos e pomposos; só aí se economizaria muito dinheiro
 
Gil Dário em 01/01/2014 15:46:26
Pois é... o servidor estadual toma até encostar e ninguém se atreve a abrir um cpizinha...
vivendo e aprendendo...
 
JOSE NOGUEIRA NETO em 01/01/2014 13:35:06
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions