A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

26/11/2013 17:49

Servidores mantêm luta para Governo ampliar contribuição à Cassems

Zana Zaidan
Representante dos policiais civis do Estado, Barbosa afirma que servidores vão brigar pela paridade (Foto: Marcos Ermínio)Representante dos policiais civis do Estado, Barbosa afirma que servidores vão brigar pela paridade (Foto: Marcos Ermínio)

Representantes dos servidores públicos estaduais vão manter a pressão para que o Governo do Estado acate a proposta de dividir igualmente o valor pago à Cassems (Caixa de Assistência dos Servidores de Mato Grosso do Sul). Hoje (26) aconteceu Assembleia Geral dos sindicatos do funcionalismo público estadual, cujos pontos discutidos vão pautar uma reunião com o governador André Puccinelli (PMDB), marcada para a próxima quinta-feira (28).

O pedido é para que haja a paridade na contribuição referente ao plano de saúde – 6% descontados da folha de pagamento, 6% do governo, já que a Cassems já anunciou que para 2014 precisa que o repasse aumente para 12%. Atualmente, a empresa recebe 8,75% - 5,25% dos trabalhadores, 3,5% do lado patronal.

 

Claudio Souza, dirigente do sindicato dos cabos e soldados da PM, espera que o governador acate o pedido. Seria nosso presente de Natal. (Foto: Marcos Ermínio)Claudio Souza, dirigente do sindicato dos cabos e soldados da PM, espera que o governador acate o pedido. "Seria nosso presente de Natal". (Foto: Marcos Ermínio)

“Ouvimos os servidores e vamos levar nossas conclusões ao governador. A princípio, não vamos abrir mão da paridade, mas na mesa de negociação tudo pode ser discutido”, explica o presidente do Simpol/MS, sindicato que representa os policiais civis do Estado, Alexandre Barboza.

Cerca de 200 servidores participaram da Assembleia, entre policiais militares e civis, agentes penitenciários, professores, administrativos, médicos e outros profissionais da administração pública, e também contou com apresentação da planilha de custos da Cassems pelo presidente da empresa, Ricardo Ayache. Em julho, ele já havia apresentado os gastos aos dirigentes e, no encontro de hoje, os servidores ficaram a par da situação do plano de saúde.

O último reajuste aconteceu em 2004 – o desconto da folha era de 3% e passou aos atuais 5,25%. São 76 mil servidores estaduais e 180 mil beneficiários da Cassems, entre titulares e dependentes.

Cassems reforça importância de manter serviços próprios para atender servidores
O presidente da Cassems (Caixa de Assistência dos Servidores de Mato Grosso do Sul), Ricardo Ayache, reforçou a importância da estruturação do plano ...
Fórum dos servidores discute saúde suplementar com presidente da Cassems
O presidente da Cassems (Caixa de Assistência dos Servidores do Mato Grosso do Sul), Ricardo Ayache, já confirmou presença na reunião do Fórum dos Se...


Lamentavel termos tanto a pagar e tão pouco a receber. Pra quem decide ter filhos simplesmente não pode contar com um plano de saude que coloca o São Lucas pra atender. Se seu filho tiver com alguma coisa simples volta cheio de virus pq tem uma fila de no minimo 20 pessoas na frente, superlotação todos os dias. Não tem nem lugar pra sentar, é humilhante ver os pais sentados na rua. Qualquer posto de saude está melhor q aquele hospital. Ainda bem que o Pronto atendimento da Santa Casa voltou a atender cassems, mas poucas pessoas sabem. Pagamos caro e somos tratados com total descaso, sem falar em vários bons profissionais que não atendem pelo plano. e nosso hospital que já virou lenda....
 
Elizangela Lima Franco em 27/11/2013 11:53:30
Rosilene Magalhães, você disse tudo...
Esse novo sitema de atendimento da Cassems está uma M...tudo demora, até para dar oi a uma atendente. Ninguém vai a Cassems e sai em menos de uma hora, geralmente ficamos quase uma tarde inteira para autorização SIMPLES.
 
Juan Charlymoon em 27/11/2013 11:49:54
Acho desnecessário o aumento refletir no bolso dos servidores públicos, todo ano o valor da contribuição é corrigido conforme o aumento cedido dado pelo Governo e agora querem mais arrecadação... Precisei fazer uma cirurgia fui até a CASSEMS e me disseram que tinha que o valor de R$ 3.000,00 porque esta não cobria a utilização de equipamentos, um absurdo essa situação. Além do fato que para cada consulta com o médico temos que pagar R$ 15,00 de fator participativo isso se já não bastasse o valor pago mensal. Sinto em dizer mas o Ricardo Ayache foi um tiro no pé.
 
Mark Valentim em 27/11/2013 08:35:52
vamos todos nos reunir e vamos apresentar ao sr. governador para cancelarmos o contrato com a Cassems, e migramos para outro plano de saúde que realmente queira fazer o "atendimento" médico, pois somos mais de 60.000 servidores, calcula isso a 6% dos salários de todos, dá um valor milionário. Uma pergunta, CADE ESSE DINHEIRO?
 
Joana Ribeiro em 27/11/2013 07:16:50
O SERVIDOR PUBLICO NÃO AGUENTA MAIS DESCONTOS NO SEU CONTRA CHEQUE. VE SE INVENTA OUTRA, CASSEMS!
 
Paulo Ramos em 27/11/2013 05:55:11
Servidores é muita gente, se eu tivesse certeza absoluta que tal valor fosse de fato utilizado em benefício dos usuários seria a primeira a defender tal causa, mas um plano intitulado Caixa de Assistência, o qual não assiste e só causa frustração, duas horas em filas para autorizar um exame, uma hora para pegar uma carteirinha, cerca de um mês pra marcar uma consulta, desconto no "plano" de servidores casados, os dois pagam, entre outras coisas que passaria o dia aqui elencando, enfim defenderia a bandeira com certeza, mas o que se vê é política misturado a tudo isso!!!!
 
Rosilene Magalhães em 26/11/2013 18:53:35
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions