A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 18 de Janeiro de 2019

12/12/2018 17:01

Grupo de 20 médicos cubanos decidiu ficar em MS, segundo secretaria

Secretaria de Estado de Saúde ainda não sabe como será o trâmite em relação a presença dos profissionais no programa federal

Gabriel Neris
De chapéu, médico Frank Salomon com equipe de saúde de Ribas do Rio Pardo (Foto: Arquivo pessoal)De chapéu, médico Frank Salomon com equipe de saúde de Ribas do Rio Pardo (Foto: Arquivo pessoal)

Grupo formado por 20 médicos cubanos que estava atendendo em Mato Grosso do Sul pelo programa Mais Médicos decidiu ficar, segundo a SES (Secretaria de Estado de Saúde). 

A pasta informou que ainda não sabe como será o trâmito junto ao governo federal em relação a presença destes profissionais no programa.

Faltam apenas dois dias para o encerramento das inscrições do Mais Médicos. No Estado foram preenchidas apenas 32% do total de vagas disponíveis. Das 115 vagas abertas após a saída de Cuba do programa nacional de atenção a saúde básica, somente 37 foram preenchidas, segundo a SES.

O município que lidera a lista de profissionais confirmados até agora é Corumbá, com 6 vagas. Em Dourados são 5 vagas preenchidas. Também aparecem na lista Distrito Sanitário Especial Indígena com 4 vagas, Tacuru com 3 oportunidades confirmadas, e São Gabriel do Oeste, Bandeirantes, Jardim e Costa Rica, todos com 2 vagas.

Conforme a SES, os municípios com um profissional disponível são Guia Lopes da Laguna, Coxim, Aral Moreira, Rio Verde de Mato Grosso, Jaraguari, Amambai, Brasilândia, Porto Murtinho, Corguinho, Aquidauana e Antônio João.

O secretário de Saúde de Corumbá, Rogério Leite, diz que há preocupação em relação às quatro vagas que ainda não foram preenchidas no município. “Estamos conversando com o Ministério [da Saúde]. Tem até o dia 14 para fazer o encaminhamento do profissional, nos disseram que vão encaminhar até sexta-feira”, disse o secretário, que está em Brasília.

Já o secretário de Saúde de Dourados, Renato Oliveira Garcez Vidigal, afirmou que restava somente uma das 10 vagas disponíveis e que já há uma médica interessada. “Todas as unidades serão atendidas”, afirmou.

O programa conta no total com 20 médicos em Corumbá. Segundo ele, os médicos estão trabalhando normalmente, sem sobrecarregar os atendimentos. “Os médicos estão dividindo o período para que todos possam colaborar”.

Entre os médicos que decidiram ficar no Estado está Frank Salomon. Ele atende em Ribas do Rio Pardo, a 103 km de Campo Grande, e se casou com uma brasileira. Ao site Rio Pardo News, o profissional elogiou a democracia brasileira e também o SUS (Sistema Único de Saúde).

“O SUS está muito bem desenhado no papel, falta só levar a prática tudo que está escrito no SUS”, disse.

Os secretários municipais e o titula da SES, Carlos Alberto Coimbra, estão em Brasília nesta quarta-feira (12) para o recebimento de 60 veículos que serão utilizados no combate a endemias e controle de vetores.

Mais Médicos

No dia 14 de novembro, o governo cubano divulgou nota anunciando o fim da cooperação técnica com a Opas (Organização Pan-Americana de Saúde) que permite o envio de médicos para o Brasil. o país caribenho envia profissionais para trabalhar em regiões carentes desde 2013, ano de criação do Mais Médicos, na gestão da então presidente Dilma Rousseff (PT).

A medida do governo cubano foi uma retaliação as mensagens do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), que falava em “expulsar” os profissionais do Brasil.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions