A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

27/08/2012 14:01

Grupo de sem-terra monta acampamento na BR-262

Paula Maciulevicius

Região deve ser habitada por 25 famílias, diz liderança de movimento que se forma às margens da BR-262, saída para Sidrolândia. (Foto: Rodrigo Pazinato)Região deve ser habitada por 25 famílias, diz liderança de movimento que se forma às margens da BR-262, saída para Sidrolândia. (Foto: Rodrigo Pazinato)

A saída para Sidrolândia na BR-262, está ganhando barracos. De longe já é possível ouvir o barulho das marteladas nas tábuas de madeira e da bandeira que ali sinaliza que tem gente reivindicando por terra.

Os sem-terra são do Movimento Sul-mato-grossense de Agricultura Familiar, recém surgido, e ainda estão no início do acampamento, há nove dias ali, eles já anunciam que até domingo, serão 25 famílias, das 700 que fazem parte do movimento pedindo pela reforma agrária, que em Mato Grosso do Sul está paralisada desde 2010 por conta de uma liminar da Justiça Federal que suspendeu as atividades do órgão até que seja normalizada a situação nos assentamentos em relação à ocupação ilegal de terrenos da reforma agrária.

“Estamos esperando o lote, a nossa luta não pode parar”, respondia um dos acampados, que preferiu se identificar apenas como Rudmar, 26 anos.

Um dos líderes a frente do Movimento, ele diz que aquele acampamento, nas proximidades do km 347 será um dos “acampamentos de assentados exemplo dentro de Mato Grosso do Sul”. A proposta deles é de montar uma cadeia produtiva para abastecimento de cereais, carnes e frango.

A escolha pela BR-262 foi por apresentar menor risco às famílias em comparação a BR-163. Além do acampamento que está sendo formado ali, um outro do mesmo Movimento ocupa a região da Gameleira.

O acampamento está em fase de adaptação, segundo os sem-terra, hoje eles ainda vão furar um poço para facilitar a vivência na área. “Nosso objetivo aqui é ser assentado e cada um pegar a sua área”, comentou Vilmar Moraes, 25 anos.

Rudmar, um dos primeiros acampados diz que a luta por terra não pode parar. (Foto: Rodrigo Pazinato)Rudmar, um dos primeiros acampados diz que a luta por terra não pode parar. (Foto: Rodrigo Pazinato)

Eles defendem que 90% da produção do Estado vêm de assentados pela reforma agrária. “Querendo ou não, o que é produzido saem dos pequenos produtores. Os grandes produzem só milho e soja e para exportação”, completa Vilmar.

A área em que eles ocupam pertence à União. O Incra (Instituto Nacional de Reforma Agrária de Colonização) informou ao Campo Grande News que tem conhecimento da formação do acampamento e esclarece que pela liminar, estão impedidos de seguir com os processos, incluindo as desapropriações, mas que continuam vistoriando fazenda e constatando áreas improdutivas.

O Instituto ainda disse, por meio da assessoria de imprensa, que assim que cair a liminar na Justiça Federal, vão preencher os ‘vazios’ de áreas improdutivas da região leste do Estado, na região de Ribas do Rio Pardo e Três Lagoas.

Ao todo são 17 mil famílias distribuídas em 42 acampamentos em 47 cidades de Mato Grosso do Sul. Dos 11 movimentos sem-terra, quatro deles são considerados novos, incluindo o Sul-mato-grossense de Agricultura Familiar.

Conforme o Incra, o DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), não está mais permitindo acampamentos às margens das rodovias federais e que pode entrar com o pedido de retirada dos sem-terra.

Autorização para psicólogos aplicarem terapia de reorientação sexual é mantida
O juiz Waldemar Cláudio de Carvalho, da 14ª Vara Federal de Brasília, decidiu hoje (15) tornar definitiva a decisão liminar (provisória) que havia pr...
Clientes de banco podem renegociar dívidas no "Caminhão do Quita Fácil"
A partir de segunda-feira (18), clientes das agências da Caixa de Campo Grande terão a possibilidade de renegociar suas dívidas atrasadas há mais de ...
Acordo entre poupadores e bancos vai beneficiar 30% dos que entraram na Justiça
Das 10 milhões de pessoas que entraram na Justiça por perdas no rendimento de cadernetas de poupança, apenas cerca de 3 milhões serão beneficiadas, s...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions