A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

15/09/2014 23:45

Homem tem recurso negado e pena aumentada por tráfico de drogas

Eduardo Penedo

Ricardo do Carmo Ferreira condenado por tráfico de drogas teve seu recurso negado e aumento de um sexto a dois terços da pena em sua sentença. A decisão foi unamine da 1ª Câmara Criminal.

De acordo com os autos, Ferreira conduzia um veículo roubado com 44 tabletes de maconha, somando aproximadamente 38 kg, escondidos no interior das portas e dos bancos, em agosto de 2013. Ele admitiu ser dono das drogas e que levaria até Cubatão (SP). Diante desses fatos, o Ministério Público denunciou-o como incurso no art. 33, caput, combinado com o art. 40, V, ambos da Lei nº 11.343/06 (tráfico de drogas) e art. 180, caput, do Código Penal (receptação).

Em 1º grau o réu foi condenado a dois anos de reclusão, em regime semiaberto, e ao pagamento de 200 dias-multa pela prática do crime de tráfico de drogas, porém foi absolvido da imputação de receptação, com base no art. 386, III, do Código de Processo Penal.

Não satisfeito com a decisão, o reu interpôs recurso de apelação no qual defende que para incidir a majorante de tráfico interestadual basta que o destino do agente seja outra unidade da federação, ainda que a divisa entre os estados não tenha sido ultrapassada.

O Ministério Público ainda apontou que, em depoimento, o réu afirmou que a droga seria levada de Ponta Porã (MS) para Cubatão (SP), o que caracteriza tráfico na modalidade interestadual e autoriza a aplicação da causa de aumento de um sexto a dois terços da pena, requerendo a reforma da sentença.

A relatora do processo desembargadora Maria Isabel de Matos Rocha, disse que o fato da droga não ter transposto o limite estadual não pode, por si só, afastar a incidência da aludida majorante, uma vez que o apelado confessou que levaria a substância entorpecente para o estado de São Paulo.

“Ora, ainda que o entorpecente não tenha chegado ao seu destino final, patente está a interestadualidade do tráfico de drogas, razão pela qual a sentença deve ser reformada para incidir a causa de aumento de pena descrita no art. 40, V, da Lei 1343/2006 no patamar de em 1/6. (…) Diante do exposto, com o parecer, dou provimento ao recurso ministerial, para reconhecer a causa de aumento de pena e, consequentemente, redimensionar a pena carcerária para dois anos e quatro meses de reclusão e 233 dias-multa, à razão de 1/30 do salário mínimo vigente à época dos fatos, devidamente corrigido, cada dia-multa. No mais, deve permanecer a sentença tal como foi lançada. É como voto”.

Temer veta projeto sobre negociação coletiva no serviço público
O presidente Michel Temer vetou integralmente o Projeto de Lei nº 3.831/15, aprovado pelo Congresso Nacional, que estabelecia normas para a negociaçã...
UFMS divulga edital do vestibular para ingresso em cursos de graduação
A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) divulgou, nesta segunda-feira (18), edital do processo seletivo do vestibular para ingresso em cu...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions