A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

28/05/2009 10:50

Idosa atropelada na Júlio de Castilhos estava de bengala

Redação

A idosa atropelada na manhã desta quinta-feira na avenida Júlio de Castilhos, em Campo Grande, caminhava de bengala.

De acordo com a aposentada Marlene Silva Souza, 70 anos, moradora da região, Elair Vargas do Amaral, 84 anos, foi atropelada quando atravessa a via de bengala e chinelo de dedo.

Para Marlene, o acidente pode ter sido causado pela falta de atenção de Elair, pois, segundo ela, o caminhão não estava em alta velocidade, atravessou o cruzamento quando o semáforo estava verde e a vítima caminhava devagar.

Marlene mora há 30 anos na região e diz que é preciso mais atenção dos pedestres. Segundo ela, um idoso morreu atropelado na região há pouco tempo.

Na região, não há faixa de pedestres próxima e os pedestres se arriscam em meio aos veículos, como foi o caso de Elair.

O vendedor Fábio Roque, 27 anos, que trabalha em uma loja próxima ao local, conta que ouviu o barulho da batida do caminhão na idosa e saiu para ver o que havia acontecido. Quando chegou no local, viu que o veículo havia atropelado uma senhora que usava bengala.

De acordo com ele, o acidente aconteceu no meio da quadra, próximo a rua José Sobrinho, e não Luís de Albuquerque, como foi informado anteriormente, perto da avenida Tamandaré, logo após o caminhão guincho ter passado pelo semáforo, que estava verde para ele.

Para o vendedor, que já viu diversos acidentes na região, o ideal para reduzir o índice de colisões na região seria a instalação de redutores de velocidade.

O cabeleireiro Sérgio Barbosa, 53 anos, que há três trabalha em um salão perto do local do acidente, tem a mesma opinião que Fábio.

Para ele, é fundamental a instalação de redutores de velocidade. Ele conta que já viu várias colisões de veículos e que o acidente que matou a idosa foi o primeiro grave que viu.

Projeto - A Prefeitura de Campo Grande fará uma intervenção complexa em 6,8 km da avenida. A obra afetará diretamente quem mora, trabalha ou passa pela região. Os recursos de R$ 17 milhões são do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento).

O projeto prevê a padronização das calçadas, implantação de uma ciclovia paralela à via e revisão nos pontos de embarque e desembargue do transporte coletivo.

Na avenida, alguns trechos são complicados porque comércios invadem a calçada. Pode haver desapropriação para que o projeto seja efetivado.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions