A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

20/10/2009 13:38

Índios desocupam 2 fazendas; outra continua invadida

Redação

Os índios da etnia Terena de oito das nove aldeias de Sidrolândia (68 km de Campo Grande) cumpriram o acordo feito com produtores e deixaram ontem mesmo duas das três fazendas invadidas naquele município e retornaram às aldeias deles. As fazendas desocupadas são 3R e Cambará.

"Nossas lideranças que ficaram nas aldeias aceitaram o acordo e as duas fazendas foram desocupadas ontem ainda", contou o representante do Conselho Estadual dos Direitos do Indio, Vinício Jorge.

A outra fazenda, Querência São José, continua ocupada. Também da etnia Terena, os índios da aldeia Buriti sede não participaram da negociação na sede da Famasul (Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul), em Campo Grande, e não tem compromisso de deixar a fazenda invadida. Naquela terra, de espólio de Munir Bacha, o clima é de tensão.

Existe especulação de que as duas propriedades desocupadas foram invadidas logo em seguida por índios da aldeia Buriti sede, mas a Famasul não soube afirmar se a informação é verídica.

Neste momento, os índios das aldeias Barrerinha, Oliveira, Olho D'água, Água Azul, Recanto, Córrego do Meio, Lagoinha e Tereré estão com os produtores rurais negociando detalhes sobre a viagem deles amanhã para o TRF 3, em São Paulo (SP).

O acordo inédito inclui que produtores e índios pressionem juntos a Justiça para uma definição rápida sobre os estudos e a demarcação de terras em Mato Grosso do Sul. Os índios devem sair de ônibus amanhã rumo a São Paulo.

Apesar de cada parte desejar uma decisão diferente, índios e produtores querem acabar com a indefinição que existe hoje. Cerca de 4.500 índios estão confinados em 2.090 hectares de áreas homologadas em Sidrolândia. Eles reivindicam a demarcação de 17.200 hectares.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions