A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 24 de Agosto de 2019

31/07/2019 11:10

“A gente não perdoa”, diz preso por assassinato em campo de futebol

Gustavo foi morto em Dourados por se envolver com a ex-namorada de um dos criminosos e por vingança de outro assassinato

Helio de Freitas, de Dourados
O autor dos tiros Jhonatan (primeiro à direita), Ryan Cardozo (centro) e Matheus, que era amigo de Gustavo e o atraiu ao local da morte (Foto: Adilson Domingos)O autor dos tiros Jhonatan (primeiro à direita), Ryan Cardozo (centro) e Matheus, que era amigo de Gustavo e o atraiu ao local da morte (Foto: Adilson Domingos)

“Ele pegou minha ex-namorada e matou o amigo do meu parceiro. Do mesmo jeito que ele não perdoou, a gente também não perdoa. Esse é o fim para todos que pegam mulher dos outros. Toma cuidado, quem fica pegando mulher dos outros morre!”. A declaração é de Ryan Silveira Cardozo, 18, um dos três presos pelo assassinato de Gustavo da Silva Pereira, 20, morto com três tiros na tarde de domingo (28) em Dourados, a 233 km de Campo Grande.

Ryan Cardozo, Jhonatan Queiroz do Prado, 20, o “Loirinho”, e Matheus Henrique Machado Souza, 22, foram apresentados nesta quarta-feira (31) pela Polícia Civil. Eles foram presos pelo SIG (Setor de Investigações Gerais) entre a noite de segunda-feira e a manhã de ontem e autuados em flagrante por homicídio.

Jhonatan do Prado confessou ter disparado os tiros e diz que matou Gustavo para vingar um amigo morto a facadas em 2017. A polícia confirma que Gustavo foi apontado como um dos autores da morte.

Ryan também confessa participação no crime e justifica que Gustavo morreu por ter se envolvido com a ex-namorada dele e por ter participado do assassinato há dois anos.

Matheus Henrique Machado, que era amigo de Gustavo, é acusado de ter atraído o rapaz ao local do crime com a desculpa de destrocarem os capacetes. Ele nega participação e diz que Ryan e Jhonatan se aproveitaram da presença de Gustavo no bairro para matá-lo.

Para policiais que atuam no caso, houve um terceiro motivo para os três armarem a morte de Gustavo: a inveja que tinham pelo fato de o rapaz ter “motona” (tinha uma Lander 250 cilindradas) e fazer sucesso entre as meninas do bairro. Todos moravam na região do Canaã, onde se criaram e se conheciam desde pequenos.

Gustavo Pereira morto domingo; inveja e tocaia armada pelo amigo (Foto: Arquivo)Gustavo Pereira morto domingo; inveja e tocaia armada pelo amigo (Foto: Arquivo)

A morte – Gustavo foi morto domingo à tarde, entre os bairros Jardim Canaã I e Carisma, perto de um campo de futebol na região leste de Dourados. Testemunha viu o rapaz conversando com os criminosos e pedir “perdão”. Em seguida, ele tentou correr, levou um tiro nas costas e caiu no meio da rua. Os criminosos se aproximaram e deram mais dois tiros na cabeça de Gustavo.

O rapaz tinha ido ao Jardim Canaã em sua moto Yamaha Lander, que não estava no local do crime e só foi encontrada hora depois, jogada na beira da rua. A polícia afirma que Matheus pegou a moto de Gustavo com a desculpa de que iria buscar o capacete em casa. Assim que Matheus saiu com a moto, Jhonatan se aproximou por trás e matou Gustavo a tiros.

O delegado Rodolfo Daltro informou que a investigação começou ainda no domingo. De imediato a polícia descobriu que o crime poderia ser passional, já que o rapaz tinha se envolvido com uma garota cujo ex-namorado não aceitava o fim do relacionamento.

Com antecedentes por tráfico de drogas, Jhonatan do Prado foi apontado como o autor dos tiros. Ryan Silveir Cardozo foi identificado como o ex-namorado da pessoa com quem Gustavo mantinha relacionamento e que havia armado o crime com Jhonatan.

Arma usada no crime foi apreendida com um dos acusados (Foto: Adilson Domingos)Arma usada no crime foi apreendida com um dos acusados (Foto: Adilson Domingos)

Arma do crime – Com passagens por roubo quando menor de 18 anos, Ryan forneceu a arma usada no crime, um revólver calibre 38. “O Ryan observou a prática do crime, pois se encontrava escondido dentro do vestiário no campo de futebol do Canaã I”, explicou o delegado. Depois que matou Gustavo, Jhonatan devolveu a arma para Ryan.

Segundo Rodolfo Daltro, Matheus Machado Souza ficou com a função de atrair Gustavo até o local onde seria morto. “Ele telefonou para a vítima e marcou o encontro na frente do campo de futebol”.

Jhonatan foi preso por volta de 20h30 de segunda-feira, nas proximidades da Praça do Cinquentenário, na saída de Dourados para Campo Grande. Ele alegou ter matado Gustavo por vingança.

Ryan foi preso por volta de 22h30 do mesmo dia no distrito de Picadinha, município de Dourados. A arma usada no crime estava escondida no mato, a cem metros da casa onde Ryan foi preso.

Matheus foi preso na manhã de ontem na Vila Cachoeirinha, região sul de Dourados. Escondido na casa de um parente, tentou fugir pulando muros de várias casas, mas foi alcançado e levado para a delegacia.

Os três foram autuados em flagrante por homicídio qualificado pela futilidade, traição e emboscada. A polícia pediu a prisão preventiva dos três. Eles vão passar por audiência de custódia às 14h de hoje, no Fórum de Dourados.

Veja abaixo a entrevista com o delegado do caso e os acusados:

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions