ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MARÇO, SÁBADO  02    CAMPO GRANDE 28º

Interior

Após confronto, reunião hoje pode acabar com grave na fábrica Eldorado

Paula Vitorino | 30/01/2012 11:53
Representantes sindicais reunidos. (Foto: Perfil News)
Representantes sindicais reunidos. (Foto: Perfil News)

Trabalhadores e representações sindicais se reúnem nesta segunda-feira (30) para tentar um acordo e terminar com a paralisação de 8 mil funcionários da fábrica Eldorado Brasil, que começou na última quarta-feira (25), em Três Lagoas.

A reunião deve acontecer às 14h, na Sintricom (Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias da Construção Civil, Imobiliário e Cerâmico de Três Lagoas), com a presença de representantes do Ministério Público do Trabalho e da Federação Nacional dos Trabalhadores.

Os trabalhadores da empresa terceirizada Paranasa, uma das contratadas para a construção da Eldorado, entraram em greve após terem o transporte até o refeitório, que fica distante do local de trabalho, negado.

A situação ficou ainda mais complicada após a intervenção da Polícia Militar na sexta-feira (27). Os funcionários tentaram fazer um isolamento com os ônibus da empresa e os policiais foram acionados para conter o tumulto. Os trabalhadores acusam os policiais de abuso de autoridade e violência durante a ação.

Entre as reivindicações dos funcionários, estão a melhoria do serviço de transporte dos funcionários para as refeições, alimentação, condições higiênicas dos alojamentos, pagamento regular de salários e outros direitos trabalhistas.

Esta é a terceira vez que trabalhadores da construção da fábrica Eldorado Brasil entram em grave. A obra começou em meados de 2010. A assessoria da fábrica de celulose esclareceu que os funcionários envolvidos na paralisação são de empresas terceirizadas contratadas para atuar na obra.

A negociação está sendo feita entre o sindicato dos trabalhadores e o comitê das empresas contratadas para construir a fábrica. A reportagem aguarda contato dos representantes do comitê.

Nos siga no Google Notícias