A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 20 de Setembro de 2019

30/08/2019 10:49

Após denunciar caos, Defensoria encontra hospital em melhor situação

Depois da “situação caótica” apontada há duas semanas, órgão afirma ter conseguido melhorias para os pacientes

Helio de Freitas, de Dourados
Hospital da Vida, em Dourados; em nova vistoria, Defensoria encontrou situação melhor (Foto: Divulgação)Hospital da Vida, em Dourados; em nova vistoria, Defensoria encontrou situação melhor (Foto: Divulgação)

Depois da “situação caótica” encontrada há duas semanas, a Defensoria Pública de Mato Grosso do Sul aponta afirma que o atendimento aos pacientes está melhor no Hospital da Vida, em Dourados, a 233 km de Campo Grande. Referência para 33 municípios, a unidade é a maior do interior a atender casos de urgência e emergência pelo SUS (Sistema Único de Saúde).

De acordo com a defensora pública Mariza de Fátima Gonçalves, na terceira visita, no dia 22, foi constatado que a administração do hospital providenciou a troca do sistema de refrigeração dos leitos e outros setores e investiu em aparelhos que eliminam 99% das bactérias do ar no quarto de pacientes em isolamento.

Em nota encaminhada pela assessoria de imprensa, a defensora afirma que foi iniciada a reforma na enfermaria cirúrgica/ortopédica e o mofo nos banheiros e na sala de hemodiálise foi removido. Também compraram medicamentos e insumos básicos.

“Mesmo diante da significativa melhora, a Defensoria Pública continuará o trabalho diuturnamente para garantir os direitos individuais e coletivos dos assistidos, que estão internados no Hospital da Vida”, afirmou Mariza.

Desde o início deste mês, a Defensoria fez reuniões com autoridades e vistorias no Hospital da Vida para averiguar denúncias sobre a situação caótica da unidade de saúde. O local, a Defensoria Pública constatou demora nos exames, falta de insumos básicos, banheiros com mofo e até pacientes “internados” em corredores.

Conforme a Defensoria, no dia 16 deste mês, uma paciente em isolamento morreu no hospital. “Os familiares procuraram a Instituição e informaram que a unidade de saúde não realizou os exames laboratoriais solicitados pelos médicos, mesmo diante do grave quadro clínico de infecção bacteriana. O caso segue em apuração para melhor salvaguarda do direito da família envolvida”, afirma o órgão.

Em relação às demais irregularidades, conforme Mariza Gonçalves, a Defensoria Pública recomendou providências administrativas evitar ações na Justiça.

O Hospital da Vida é administrado pela Funsaud (Fundação de Serviços de Saúde de Dourados), que faz parte da estrutura da prefeitura. Com dívida milionária, desde junho a Fundação está sob intervenção da prefeitura.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions