ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, SEXTA  23    CAMPO GRANDE 31º

Interior

Após paralisação em aulas, reajuste salarial fica para depois das eleições

Secretaria de Educação de Corumbá recebeu profissionais para discutir reivindicações e estudo de orçamento

Caroline Maldonado | 13/09/2022 07:39
Representantes do Simted (Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação) e o secretário municipal de Educação, Genilson Canavarros (Foto: Divulgação/Simted)
Representantes do Simted (Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação) e o secretário municipal de Educação, Genilson Canavarros (Foto: Divulgação/Simted)

Após paralisar aulas em dez escolas municipais na quinta-feira (8), profissionais da educação de Corumbá conseguiram reunião na prefeitura para discutir reivindicações sobre plano de cargos e carreiras para o administrativo e piso salarial previsto em lei federal.

Após o encontro entre representantes do Simted (Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação) e o secretário municipal de Educação, Genilson Canavarros, ficou decidido que os assuntos serão discutidos, mas somente após as eleições de outubro, a prefeitura vai analisar as propostas da categoria.

Também participaram da reunião a secretária adjunta Maria do Carmo Blum e três vereadores. Apesar de avaliar a reunião como proveitosa, a categoria acredita que há falta de vontade do Executivo municipal para apresentar um estudo de orçamento sobre o reajuste proposto pelo Simted, segundo o advogado do sindicato, Newton Nascimento.

“O Simted encaminhou a proposta do PCCR (Plano de Cargos, Carreira e Remuneração) dos administrativos, e aguarda agora que a Prefeitura faça sua parte, forme sua comissão de estudos e oficialize o estatuto. Há outros PCCRs em estudo, segundo a Prefeitura, mas os administrativos não abrem mão de ter um PCCR exclusivo e específico da Educação, com estatuto próprio”, afirmou o presidente do Simted, Gabriel Omar da Matta Postigliatti.

Na quarta-feira (14), haverá audiência pública na Câmara Municipal, a partir das 18h, para discussão de todos os problemas que envolvem a Educação, as principais pautas de reivindicações do Simted, que incluem reajuste do piso nacional do magistério e o PCCR dos administrativos, além das condições de trabalho de professores e administrativos e as denúncias de precarização em unidades escolares na rede municipal de Ensino.

Paralisação - Na quinta-feira (8), dezenas de profissionais se reuniram em frente a prefeitura da cidade, na tentativa de conversar com o prefeito Marcelo Iunes (PSDB) sobre as reivindicações. Os manifestantes receberam a informação de que o prefeito estava fora da cidade. Conforme a secretária, 25% dos servidores aderiram ao movimento.

Somente nas escolas que não tiveram aulas naquele dia, haverá reposição no dia 24 de setembro, um sábado, conforme a Semed (Secretaria Municipal de Educação). Ao todo, a cidade tem 40 escolas. Segundo o presidente do Simted, cerca de 200 servidores, entre professores e administrativos, ficaram parados.

Nos siga no Google Notícias