ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, DOMINGO  26    CAMPO GRANDE 15º

Interior

Assassino de irmã já tinha matado para vingar o pai

Angel Luama foi assassinada com tiro na cabeça; irmão inicialmente inventou história para enganar a polícia

Por Dayene Paz | 26/05/2022 09:29
Angel Luama, morta pelo irmão, em uma foto postada no Facebook. (Foto: Facebook)
Angel Luama, morta pelo irmão, em uma foto postada no Facebook. (Foto: Facebook)

Alisson Luan Pinto Silveira, de 27 anos, assassino confesso da própria irmã, Angel Luama Pinto Silveira, de 28 anos, em Caarapó, cidade a 274 quilômetros de Campo Grande, acumula diversas passagens pela polícia. Em 2012, ainda adolescente, matou um homem para vingar a morte do pai, em Amambai, município onde morava à época dos fatos.

O borracheiro Joel de Souza, de 34 anos, foi morto a facadas em 16 de junho de 2012. Conhecido como “Nego”, Joel estava em um bar na região da Vila Planalto, em Amambai, e ao sair do estabelecimento, foi perseguido. Ele foi atacado e atingido por vários golpes de faca.

Isso porque, no ano anterior, em 2011, o borracheiro foi acusado de ser o responsável pela morte do pai de Alisson. Os dois seguiam em uma motocicleta pela rodovia MS-156, trecho que liga Amambai a Tacuru, quando sofreram um acidente. O passageiro - pai de Alisson - teve traumatismo craniano e morreu no hospital de Dourados.

Alisson quando foi levado para delegacia acusado pela morte de Joel em 2011. (Foto: Direto das Ruas)
Alisson quando foi levado para delegacia acusado pela morte de Joel em 2011. (Foto: Direto das Ruas)

Na época, um rapaz identificado como Carlos Roberto Dias Ortiz se apresentou na delegacia e confessou o crime. "Eu e o Alisson matamos o Negão, sendo que eu segurei o Joel e o Alisson esfaqueou ele. Eu sabia que o Alisson queria matar ele, pois ele falou para mim que tinha raiva do Negão", disse Carlos para a polícia.

"Ele tinha ruindade no coração. Quando moravam em fazenda, o cachorro do primeiro marido da mãe dele matou as galinhas e ele foi e matou o cachorro a facadas. Nessa época, ele até levou tiros do marido da mãe e sobreviveu. O Luan tinha 16 para 17 anos quando ele matou o cara que matou o pai dele", contou a prima de Angel, que pediu para não ter o nome divulgado, por medo.

Conforme apurado pelo Campo Grande News, no nome de Luan, ainda constam outras passagens de quando ele era menor de idade. Já na maioridade, há processo de ameaça e porte ilegal de arma de fogo (2018) - ocasião em que ele disparou contra a casa de um desafeto por vingança - e também, conforme denúncia do Ministério Público, tentou matar outro homem a facadas após discussão no mesmo ano.

Morte da irmã - Luan foi preso na tarde desta quarta-feira (25), após confessar o assassinato de Angel Luama, ocorrido na madrugada de segunda-feira (23). A jovem estava grávida de cinco meses. Inicialmente, afirmou que um desconhecido atirou contra a irmã. Em uma segunda versão, confessou, alegando ter disparado "sem querer", acreditando que a arma não estava municiada.

No entanto, apuração da Polícia Civil aponta que vítima e o autor estavam em um estabelecimento comercial ingerindo bebidas alcoólicas momentos antes. Quando retornavam para casa, por volta de 00h de segunda-feira, os irmãos discutiram e Luan sacou um revólver que portava na cintura. Ele disparou contra a cabeça de Angel, que estava grávida de cinco meses.

A arma usada no crime, um revólver calibre .38, foi apreendida e de acordo com a polícia, estava municiada com apenas uma cápsula deflagrada.

Nos siga no Google Notícias