ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, QUINTA  23    CAMPO GRANDE 25º

Interior

Associação cobra proteção para juiz que teve casa alvejada na fronteira

Entidade que representa magistrados condenou ataque ocorrido em Pedro Juan Caballero

Por Helio de Freitas, de Dourados | 21/07/2021 11:47
Policiais em frente à casa de juiz, atingida por tiros ontem à noite na fronteira (Foto: Última Hora)
Policiais em frente à casa de juiz, atingida por tiros ontem à noite na fronteira (Foto: Última Hora)

A Associação de Juízes do Paraguai condenou o atentado a tiros à casa do magistrado Luis Alberto Benítez Noguera, 52, ocorrida na noite desta terça-feira (20) em Pedro Juan Caballero, cidade vizinha de Ponta Porã (MS), a 323 km de Campo Grande. O ataque foi promovido por pistoleiro de moto. Ele abandonou o veículo a 200 metros da casa e fugiu.

Em comunicado oficial divulgado em sua conta no Twitter na manhã de hoje, a entidade nacional condenou a violência e o terror vivido pelo magistrado fronteiriço que teve o muro e o portão de sua casa no bairro Virgem de Caacupé alvejados por tiros de pistola 9 milímetros.

Além de condenar o atentado, a associação cobrou da Corte Suprema de Justiça (equivalente ao STF no Brasil) a adoção de medidas urgentes para garantir a segurança de todos os juízes e juízas da República do Paraguai.

A Corte Suprema também se manifestou sobre o caso e cobrou da Polícia Nacional e do Ministério Público do Paraguai proteção ao magistrado e investigação do atentado.

Luis Noguera é presidente Circunscrição Judicial de Amambay, Departamento (equivalente a Estado) cuja capital é Pedro Juan Caballero. Ele também é membro da Câmara de Apelações do Poder Judiciário paraguaio.

Investigadores da Polícia Nacional recolheram cápsulas deflagradas em frente à casa, apreenderam a moto e um carregador de pistola abandonados a 200 metros do local e recolheram imagens de câmeras de segurança que flagraram o atentado.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário