ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEXTA  30    CAMPO GRANDE 15º

Interior

Casa de irmã de Rafaat na fronteira é alvejada por pelo menos 16 tiros

Caso aconteceu na madrugada e ao amanhecer foram encontradas 16 cápsulas de 9 mm em frente a residência

Por Ana Oshiro e Nyelder Rodrigues | 06/03/2021 09:33
1º Delegacia de Polícia Civil de Ponta Porã (Foto: Divulgação/Polícia Civil)
1º Delegacia de Polícia Civil de Ponta Porã (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

A casa da irmã do narcotraficante Jorge Rafaat, morto em uma verdadeira operação de guerra no ano de 2016 em Pedro Juan Caballero, foi alvejada por pelo menos 16 tiros de pistola calibre 9 mm na madrugada deste sábado (6). Ela mora do lado brasileiro da fronteira, em Ponta Porã - cidade localizada a 323 km de Campo Grande.

Os disparos ocorreram por volta da uma e meia da madrugada e foram encontrados 16 cápsulas de munições 9 mm em frente da casa, ao amanhecer. Duas janelas e vidros que delimitam o terreno onde ela mora foram atingidos. Não houve feridos.

Rafaat foi morto em 15 de junho de 2016 em uma emboscada de rivais que disputavam com ele o poder na fronteira, local propício para a logística do crime organizado. Rafaat era condenado no Brasil, mas vivia livremente no Paraguai.

O narcotraficante foi quem 'herdou' o posto de 'Rei da Fronteira' de Fahd Jamil, que após condenações pela Justiça brasileira, fugiu. Recentemente, após morte de Jorge, Fahd, ou Fuad, como é popularmente chamado, voltou à atuar.

Conforme as investigações da Omertà, operação do Gaeco e do Garras, Fahd travou recente disputa com a organização criminosa paulista PCC (Primeiro Comando da Capital) pelo poder na fronteira. A facção também é uma das suspeitas de terem matado Rafaat.

*matéria alterada às 16h30 para acréscimo de informações

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário