A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 15 de Outubro de 2019

07/02/2019 23:39

Casal é condenado a 48 anos de prisão por deixar filha morrer desnutrida

A bebê de 7 meses tinha hidrocefalia e teve a sonda de alimentação retirada pelos pais. Mesmo após ela ter morrido, enquanto eles sequer estavam em casa o casal ainda dormiu com a criança morta, antes da mãe procurar ajuda

Adriano Fernandes
Promotoria e jurados durante a sessão de julgamento. (Foto: Divulgação) Promotoria e jurados durante a sessão de julgamento. (Foto: Divulgação)

Foram condenados a 48 anos de prisão, Lorrayne Guimarães Torres e Gilson Gonçalves, ambos acusados da morte de sua própria filha, Ayla Gabrielly Torres, com pouco mais de 1 mês de vida. A criança tinha hidrocefalia e morreu desnutrida na casa de uma vizinha do casal, enquanto a mãe estava em um pagode e o pai assistindo futebol.

Ayla nasceu aos 7 meses de gestação em dezembro de 2015 e chegou a ficar 23 dias internada no berçário do hospital em Corumbá, pois como não tinha capacidade de sucção e nem de engolir alimentos, precisava ser alimentada por sonda.

No entanto, os pais não quiseram mais retornar ao hospital e retiraram a criança da unidade, mesmo cientes de todos os riscos e contra a vontade dos médicos. Além de não prestarem os mínimos cuidados à criança, os pais retiraram a sonda dela, única forma que a alimentava, a deixando sem alimentação e, consequentemente, desnutrida.

No dia 24 de janeiro de 2016, no início da noite, a mãe deu mamadeira para a bebê e a deixou na casa de uma vizinha, dizendo que precisava ir apenas a um aniversário e voltaria logo, mas, na verdade, ela foi para o "Pagode da Pesada". Já o pai ninguém sabia onde estava até então.

Naquela noite a bebê morreu por bronco-aspiração por meio líquido e absolutamente desnutrida.A mãe só chegou ao local às 3 horas da manhã, completamente bêbada, já com o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) em sua casa.

Como o médico não viu sinais de violência na criança, não acionou a polícia. Com isso pai e mãe ainda dormiram com a bebê morta em casa. Só pela manhã, a mãe saiu pelas ruas com a bebê no colo e o pai, sem se importar, ficou em casa assistindo a final da Copa São Paulo de Futebol Júnior, entre Corinthians e Flamengo.

Em depoimento na delegacia ele ainda teria feito questão de dizer que o jogo estava 2 x 0 para o Corinthians, quando os policiais chegaram em sua casa. Eles foram presos e na residência, foram apreendidas quase 160 trouxinhas de pasta base de cocaína em um pacote de fraldas da criança.

12 horas - O julgamento do caso durou quase 12 horas e foi realizado no Tribunal do Júri de Corumbá, cidade a 419 quilômetros de Campo Grande. Os jurados acataram a tese do Promotor de Justiça Fabio Adalberto Cardoso de Morais, condenando a dupla por homicídio triplamente qualificado: meio cruel, asfixia e recurso que dificultou a defesa da vítima.

Ao fim da sessão o juiz Deyvis Ecc fixou a pena de 24 anos de prisão para cada réu.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions