ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, TERÇA  16    CAMPO GRANDE 18º

Interior

Cassação de vereador acusado de bater na mulher demora até 60 dias

Denúncia contra Diego Carcará será analisada pela Comissão de Ética da Câmara de Fátima do Sul

Por Helio de Freitas, de Dourados | 08/03/2022 15:21
Diego Carcará enfrenta pedido de cassação quase dois meses após prisão (Foto: Reprodução)
Diego Carcará enfrenta pedido de cassação quase dois meses após prisão (Foto: Reprodução)

O processo de cassação do vereador Diego Candido Batista (PSD), o “Diego Carcará”, deve demorar de 45 a 60 dias para ser concluído depois de começar a tramitar na Câmara de Fátima do Sul, cidade a 239 km de Campo Grande.

Preso no dia 23 de janeiro deste ano acusado de bater na mulher e na enteada com chinelo, ele ficou 19 dias na cadeia, mas reassumiu a cadeira no Legislativo no dia 3 deste mês.

O pedido de abertura de processo de casacão por quebra de decoro parlamentar foi protocolado ontem (7) pelos vereadores Nilsinho Construtor e Silvana Vasconcelos (ambos do MDB).

Havia expectativa de que a denúncia fosse lida na sessão de hoje de manhã, mas a Câmara optou priorizar as homenagens pelo Dia Internacional da Mulher e vai incluir o caso na pauta da sessão da próxima terça-feira (15).

Ao Campo Grande News, o presidente da Câmara Ermeson Cleber Mendes (PDT) explicou que após a leitura em plenário, o pedido de cassação será encaminhado para a Comissão de Legislação, para parecer sobre a constitucionalidade da denúncia.

Se aprovado pela Comissão de Legislação, o requerimento volta para a Mesa Diretora e depois vai para a Comissão de Ética, responsável em conduzir o processo de cassação.

Após analisar as provas e ouvir depoimentos, a Comissão de Ética vai emitir seu parecer pedindo a cassação ou arquivamento. A votação será em plenário, de forma secreta.

Quebra de decoro – O pedido de cassação é baseado no artigo 35 da Lei Orgânica Municipal. Os vereadores emedebistas afirma que as provas contra Diego Carcará são suficientes para embasar o pedido de cassação. “Seu comportamento é obviamente incompatível com o decoro parlamentar”.

Corretor de imóveis e vereador pelo segundo mandato, Diego Carcará tem 33 anos de idade e foi preso acusado de agredir a chineladas a então esposa, de 31 anos, e a enteada, de 12.  A mulher disse que ele estava bêbado, mas em depoimento à polícia ela relatou outros episódios de agressões físicas e morais.

Diego Carcará exerce normalmente o mandato, mas está proibido pela Justiça de frequentar bares, não pode sair depois das 18h de casa e precisa manter distância mínima de 100 metros da mulher.

Nos siga no Google Notícias