ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, TERÇA  16    CAMPO GRANDE 18º

Interior

Vereador que agrediu esposa a chineladas é enviado para presídio

Diego Candido Batista passou quatro dias na delegacia de Fátima do Sul e hoje, foi para a PED

Por Helio de Freitas, de Dourados | 27/01/2022 11:16
Viatura da Polícia Civil deixa delegacia de Fátima do Sul levando vereador e outro preso. (Foto: MS News)
Viatura da Polícia Civil deixa delegacia de Fátima do Sul levando vereador e outro preso. (Foto: MS News)

Preso há quatro dias por violência doméstica, o vereador de Fátima do Sul Diego Candido Batista (PSD), o “Diego Carcará”, foi levado na manhã desta quinta-feira (27) da delegacia da Polícia Civil para a PED (Penitenciária Estadual de Dourados). A transferência deveria ter ocorrido ontem, mas a vaga só foi liberada à noite.

Por volta de 10h, a viatura da Polícia Civil deixou a delegacia, no Bairro Katira, levando Diego e outro preso (acusado de tráfico de drogas) até o Hospital Nazareno, no centro, para exame de corpo de delito.

A próxima parada é a PED, localizada na margem da BR-163, na saída de Dourados para Campo Grande. Como tem curso superior e é político, Diego Carcará deve ficar na chamada “capela”, ala do presídio reservada a “presos ilustres”. Maior de Mato Grosso do Sul, o presídio tem pelo menos 2.700 presos.

Dono de corretora de imóveis em Fátima do Sul e vereador pelo segundo mandato, Diego Carcará, 33, está preso por agredir a chineladas a mulher, de 31 anos, e a enteada, de 12, na noite de domingo. A esposa disse que ele estava bêbado.

O juiz da cidade e o magistrado plantonista do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul já negaram liberdade ao vereador. Anteontem, ele pediu afastamento de 30 dias da Câmara. O inquérito tramita na Delegacia da Mulher.

A esposa do vereador disse que era submetida a constantes agressões e ameaças por parte do marido. Segundo ela, Diego a impedia até mesmo de ter acesso a dinheiro, às contas bancárias e aos documentos pessoais e de veículos do casal.

A briga que resultou em agressões físicas, no domingo, começou após Diego derrubar o filho, de um ano. Primeiro, ele desferiu chinelada na enteada que estava com o bebê no colo. A mulher saiu em defesa da filha e também foi espancada.

Já na delegacia, Diego teria passado perto da esposa e a ameaçado, caso levasse a denúncia em frente. A Justiça decretou medidas protetivas para impedi-lo de se aproximar da mulher após sair da prisão.

Nos siga no Google Notícias