ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, DOMINGO  14    CAMPO GRANDE 24º

Interior

Centro vai formar 1,3 mil pessoas em 3 anos para “boom” da indústria em Ribas

Fiems começa obra de R$ 40 milhões para criar centro de capacitação e gerar mão de obra à produção celulose

Por Caroline Maldonado e Maristela Brunetto | 23/02/2024 09:49
Governador Eduardo Riedel assina ordem de serviço da obra, junto ao prefeito de Ribas, João Alfredo Danieze (Foto: Marcos Maluf)
Governador Eduardo Riedel assina ordem de serviço da obra, junto ao prefeito de Ribas, João Alfredo Danieze (Foto: Marcos Maluf)

A obra do CISS (Centro Integrado Sesi Senai), que começa nesta sexta-feira (23) em Ribas do Rio Pardo, ficará pronta em 2025. A Fiems (Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso do Sul) está investindo mais de R$ 40 milhões no centro e prevê capacitar 1,3 mil pessoas nos três primeiros anos para gerar mão de obra à indústria de celulose da Suzano, que deve começar a funcionar em junho deste ano, trazendo um “boom” de empregos e transformações em toda a cidade, que fica a 98 quilômetros da Capital.

A indústria será a maior do mundo com uma única linha de produção na área da celulose e terá capacidade de produzir 2,55 milhões de toneladas de celulose de eucalipto por ano.

Durante o lançamento da obra no Bairro Parque Estoril 1, o governador Eduardo Riedel (PSDB), destacou o crescimento do Estado nos último anos e a importância das condições dadas pelo governo para atrair e ampliar os investimentos privados, criando assim um ambiente de negócios em constante evolução.

"Esses mais de 6% de taxa de crescimento em 2023 tem um efeito direto na nossa sociedade, que é gerar oportunidade para as pessoas. O grande programa social que pode existir é dignidade e emprego. É a dignidade da pessoas poder ser contratada para fazer aquilo que ela gosta e ela quer, que ela aprendeu em uma escola técnica ou não, em uma universidade e fazer a junção dessas oportunidades que são geradas", disse Riedel.

O presidente da Suzano, Walter Schalka, destacou que “a Indústria não pode ser apenas espectadora, mas transformadora da sociedade”. Ele fez agradecimentos a todas as autoridades e comunidade envolvidas no processo de instalação do centro e na união para transformar a cidade a partir das oportunidades que surgem com a indústria.

“Esse empreendimento não vai transformar somente o município e o Estado, mas sim a indústria mundial da celulose”, disse Schalka.

Obra do CISS (Centro Integrado Sesi Senai), no Bairro Parque Estoril 1, em Ribas do Rio Pardo. (Foto: Marcos Maluf)
Obra do CISS (Centro Integrado Sesi Senai), no Bairro Parque Estoril 1, em Ribas do Rio Pardo. (Foto: Marcos Maluf)

O presidente da Fiems, Sérgio Longen, agradeceu ao Governo do Estado e também a Prefeitura de Ribas do Rio Pardo, que forneceu a área para instalação do centro de formação e aos vereadores que também estiveram envolvidos em todos os projetos que preparam a cidade para as transformações que estão ocorrendo.

“O projeto faz parte da ideia da indústria de ampliar a participação da economia no Estado e acompanhar o crescimento, especialmente nas áreas de educação, pesquisa e inovação. A indústria está se consolidando aqui no Estado como uma atividade importante para a economia”, disse Longen.

Containers - Na Rua Joaquim Gonçalves Pontes, o empreendimento terá 6,1 mil metros quadrados de área construída, em dois pavimentos, para oferecer educação básica tecnológica do Sesi (Serviço Social da Indústria) e ensino técnico e superior do Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial).

No local, já existem há dois 2 anos e seis meses 16 escolas contêineres , onde são oferecidos cursos até que a obra fique pronta. Os professores já deram cursos de formação profissional em Três Lagoas, preparando profissionais para atuar nas empresas Champion, Votorantim e Suzano. Quase 900 pessoas já foram atendidas e hoje mais de 600 fazem os cursos oferecidos ali nos contêineres .

Conforme o diretor regional do Senai, Rodolpho Mangialardo, os cursos já acontecem há dois anos e meio, atendendo não somente a Suzano, mas também formando trabalhadores para outros setores produtivos e para outras atividades industriais, como soldadores e técnicos em logísticas. Para alguns cursos específicos para o setor da celuloses, como técnicos em química e na produção, Mangialardo pontua que a qualificação é direcionada e a Suzano remunera o Senai pela formação.

Os cursos oferecidos têm professores de Mato Grosso do Sul, mas também foi necessário trazer de outros locais, como Maranhão, Bahia e Paraná, para conhecimentos específicos.

Nos siga no Google Notícias