A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 21 de Outubro de 2019

22/09/2019 19:34

Chegada de helicópteros agiliza combate aos incêndios no Pantanal

Expectativa é que equipes cheguem mais rápido aos pontos de difícil acesso; quatro frentes de voos foram planejadas

Liniker Ribeiro
Equipes embarcando em helicóptero para mais auxiliar no combate aos incêndios na região do Pantanal (Foto: Saul Schramm/Governo do Estado)Equipes embarcando em helicóptero para mais auxiliar no combate aos incêndios na região do Pantanal (Foto: Saul Schramm/Governo do Estado)

Com a chegada dos helicópteros do Exército e da Polícia Militar de São Paulo a região Pantaneira, no início da tarde deste domingo (22), quatro frentes de combate aéreo foram formadas para combater os focos de calor em áreas de difícil acesso. Agora, os trabalhos de combate as queimadas tendem a ser mais ágeis, conforme expectativa do Governo do Estado.

Conforme o governo, a primeira tropa transportada pelo Pantera, helicóptero do Exército com dez bombeiros do Distrito Federal, chegou ao local dos focos em menos de cinco minutos, partindo do aeroporto da Fazenda Caiman. Por terra, as equipes teriam de percorrer aproximadamente 18 quilômetros até um brejo da região, que estava pegando fogo.

Militar vendo foco de incêndio de cima, de dentro do helicóptero (Foto: Saul Schramm/Governo do Estado)Militar vendo foco de incêndio de cima, de dentro do helicóptero (Foto: Saul Schramm/Governo do Estado)

“Com toda a estrutura montada de um lado da baía, não seria possível chegar do outro lado”, explicou Eduardo Rosa, gerente da propriedade rural. As prioridades são as fazendas Caiman e Bodoquena (BR-262, em Miranda), o Parque Estadual do Pantanal do Rio Negro e a região de Corumbá.

Ainda conforme o governo, o domingo foi um dia mais tranquilo na fazenda do empresário Roberto Klabin, que criou o Refúgio Ecológico Caiman e desenvolve vários projetos de sustentabilidade ambiental.

Uma equipe de brigadistas passou a noite na Reserva Particular do Patrimônio Natural, onde se concentram os últimos focos, para abrir um caminho na mata e chegar a um dos locais de combate. “A área de brejo foi o maior desafio”, disse Enilton Paixão, do PrevFogo (Ibama).

Inicialmente, o helicóptero da Polícia Militar de São Paulo vai realizar o transporte da tropa de combate para a fazenda Bodoquena, onde será feito um levantamento da situação a área. Não há previsão para o fim da operação, que conta com 280 bombeiros do Estado.

A demora para os brigadistas atingirem os pontos de fogo atrasou também o trabalho do avião Air Tractor, do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal, para o lançamento de água. A operação, neste domingo, iniciou-se às 8h, com seis lançamentos pela manhã. Ontem foram realizadas 18 decolagens e 32 lançamentos, totalizando 42 mil litros de água. Na próxima semana, um contingente de bombeiros do Estado deve se deslocar para Corumbá, em apoio ao PrevFogo.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions