ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEXTA  18    CAMPO GRANDE 32º

Interior

Cheia dos rios Aquidauana e Miranda chega à Estrada Parque

Motoristas são orientados pela Agesul a evitar a MS-184. Previsão é que água suba até 30 centímetros nos próximos dias

Por Gabriel Neris | 16/03/2018 17:11
Trecho da Estrada Parque está encoberto pela água e motoristas estão sendo desviados (Foto: Agesul)
Trecho da Estrada Parque está encoberto pela água e motoristas estão sendo desviados (Foto: Agesul)

Motoristas que trafegam pela MS-184 estão sendo orientados a evitar a Estrada Parque, no Pantanal de Corumbá – a 419 km de Campo Grande. A água da chuva que provocou a cheia nos rios Aquidauana e Miranda chegou à região e levando risco para quem utiliza a rodovia. A previsão é de o trecho esteja com lâmina d'água de 25 a 30 centímetros nos próximos dias.

A MS-184 é utilizada para o transporte de gado e também para a chegada dos turistas. A Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos) está recomendando que os condutores de carros pesados acessem a MS-432, que dá acesso ao Distrito de Albuquerque, pela BR-262, retornando à Estrada Parque pela MS-228. Mas neste caso é necessário utilizar a balsa no Porto da Manga.

De acordo com a Agesul, a passagem de veículos com gado ou outro tipo de carga no trecho da MS-184 pode comprometer o solo encharcado. A agência também pede que os motoristas trafeguem em baixa velocidade na ponte de vazão nº 4, danificada por conta da correnteza.

A Agesul está realizando manutenção das pontes e realizando o cascalhamento nos locais atingidos. Os pantaneiros estão enfrentando uma cheia atípica com o excesso de chuva registrada no Estado. Os fazendeiros aguardam uma segunda cheia, a do Rio Paraguai, na MS-228, no Porto da Manga, entre maio e junho. O transbordamento do rio, no entanto, deve ocorrer até o fim deste mês e pode interditar a rodovia.

Com recursos do Fundersul (Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário), o Estado investiu R$ 1,5 bilhão na recuperação de 5 mil km de estradas e pontes em três anos, com o objetivo de garantir o escoamento da produção agropecuária.

Assista abaixo o trecho que foi encoberto pela água na Estrada Parque