ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SÁBADO  15    CAMPO GRANDE 23º

Interior

China suspende importação de frangos abatidos em frigorífico de Dourados

BRF alega não ter sido notificada e atua para tentar reverter a medida

Por Helio de Freitas, de Dourados | 29/07/2020 16:12
Frigorífico de frangos da BRF no Distrito Industrial de Dourados (Foto: Divulgação)
Frigorífico de frangos da BRF no Distrito Industrial de Dourados (Foto: Divulgação)

A China suspendeu a compra de frangos abatidos na indústria da BRF em Dourados, a 233 km de Campo Grande. O motivo oficial ainda não foi explicado, mas a principal hipótese é devido à pandemia de covid-19. No início de julho, o país asiático já havia paralisado as exportações de suínos da BRF em Lajeado e da JBS em Três Passos, as duas cidades no Rio Grande do Sul.

A indústria douradense, afetada pela medida, abate em torno de 130 mil frangos por dia e 25% da produção é destinada ao mercado chinês. Segundo maior empregador privado do município de Dourados com 1.500 funcionários, o frigorífico teve 205 empregados infectados pelo novo coronavírus, mas atualmente apenas 4 casos estão ativos e 201 estão curados.

A maior empregadora de Dourados é a indústria de suínos da JBS, com 4.300 funcionários, mil dos quais pegaram o vírus e a grande maioria também já está recuperada.

Em nota distribuída nesta quarta-feira (29), a BRF informa não ter sido notificada oficialmente sobre a suspensão da habilitação para exportações de proteína de frango da unidade de Dourados, mas tomou conhecimento do fato através de publicação no site da GACC (Administração Geral das Alfândegas da China).

“A empresa ressalta que desconhece o motivo desta decisão e que já está atuando junto às autoridades brasileiras e chinesas, incluindo o Ministério da Agricultura, Ministério de Relações Exteriores, a Embaixada da República Popular da China no Brasil e a própria GACC, para reversão da suspensão no menor prazo possível e tomando todas as medidas cabíveis para restabelecer tal habilitação”, afirma a indústria.

Ainda conforme a BRF, os órgãos chineses já fizeram testes para identificar covid-19 em 227,9 mil amostras de alimentos de forma aleatória procedentes de diversos países e de várias empresas “e nada foi constatado até o momento”.

A BRF afirma que desde o início do surto de covid-19 no mundo adotou protocolos de saúde e segurança e planos de contingência em todas as suas unidades no Brasil e no exterior. “Cabe ressaltar ainda que, de acordo com a Organização Mundial da Saúde, a transmissão da covid-19 ocorre pelo contato próximo com pessoas infectadas e não há evidências de transmissão da doença através de alimentos ou suas embalagens”, diz a nota.