A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

10/12/2015 18:47

Chove dentro de sala de aula em escola que nunca teve reforma

Caroline Maldonado

Em dias de chuva, as goteiras são tantas que impedem as aulas em uma escola estadual de Batayporã, a 311 quilômetros de Campo Grande. Construído na década de 70, o prédio da Escola Estadual Braz Sinigália, nunca passou por reforma, segundo o MPF (Ministério Público Federal), cuja equipe visitou o local na semana passada.

Pelas más condições do telhado, goteiras tomam conta da sala, em vídeo divulgado pelo órgão. O problema não ocorre apenas nas salas de aula, mas também nas secretarias e no laboratório de informática. A escola tem ainda a obra de uma quadra de esportes coberta inacabada, que já possui danos estruturais. Além disso, as salas não têm ar-condicionado e as carteiras estão bastante danificadas.

A equipe do MPEduc (Ministério Público pela Educação) esteve também na Escola Municipal Irene Linda Zioli Crivelli, em Taquarussu, a 332 quilômetros da Capital. Segundo o órgão, desde 2013 o município não controla a frequência dos professores da escola e por lá não há rede elétrica adequada para a instalação de ar-condicionado nas salas.

A escola não tem quadra de esportes e os alunos têm que ir até o ginásio municipal para participar das atividades de Educação Física. Em contrapartida, a escola tem fornecimento de verduras e legumes de boa qualidade para a merenda escolar, adquiridos de produtores da agricultura familiar, conforme o MPF.

Na semana passada, após divulgação de informações sobre as instalações de uma escola da rede estadual em Chapadão do Sul, a SED (Secretária Estadual de Educação) informou ao Campo Grande News que equipes com engenheiros, arquitetos e técnicos de outras áreas estão percorrendo as escolas do Estado para identificar os problemas. O levantamento servirá como base para estabelecer prioridades e solucionar casos de unidades que necessitem de reforma ou ajustes de outra ordem, em 2016.

A reportagem tentou contato, por telefone, com o prefeito de Taquarussu, Roberto Tavares Almeida, para saber mais sobre as dificuldades enfrentadas pela educação no município, mas as ligações não foram atendidas.

Audiência - Antes das visitas, no dia 30 de novembro, o MPEduc relizou audiência pública na Câmara Municipal de Batayporã, com a presença de diretores, professores, pais e alunos. Mais de 120 pessoas participaram do debate sobre a qualidade da educação nos dois municípios.

A escassez de recursos do Ministério da Educação e a não-discussão e ausência de políticas LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros) nas escolas da rede pública de ensino foram alguns dos problemas apontados pela população.

Além de visitar as escolas e promover audiências, o MPEduc faz análise dos conselhos de educação, expedição de recomendações e o esclarecimento da população sobre o direito à educação de qualidade.

Veja o vídeo:

 



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions