ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUARTA  05    CAMPO GRANDE 29º

Interior

Com 78% dos leitos ocupados, MP alerta para colapso iminente em Dourados

Cidade conta com 40 leitos de UTI adulto destinados a pacientes suspeitos e confirmados do novo coronavírus

Por Clayton Neves e Helio de Freitas, de Dourados | 26/06/2020 21:05
Militar do exército faz desinfecção no Hospital da Vida. (Foto: Divulgação)
Militar do exército faz desinfecção no Hospital da Vida. (Foto: Divulgação)

Em nota conjunta divulgada nesta sexta-feira (26), os Ministérios Públicos Estadual, Federal e do Trabalho em Dourados, emitiram alerta à população onde evidenciam iminente colapso no setor de saúde pública da cidade, atual epicentro da covid-19 em Mato Grosso do Sul. Com 2.335 casos confirmados da doença, a cidade tem ocupação de 78% dos leitos destinados a pacientes com o novo coronavírus.

No texto, os órgãos afirmam que “o sistema de saúde local não está preparado para enfrentar surto elevado de Covid-19”, e por isso, apelaram para a consciência dos moradores para que intensifiquem as medidas de prevenção.

Ao Campo Grande News, representante do MP afirmou que o município perdeu o controle da pandemia em Dourados e que as mortes tendem a aumentar.

Com base em dados apurados hoje, os Ministérios Públicos afirmam que atualmente, Dourados conta com 40 leitos de UTI adulto destinados a pacientes suspeitos e confirmados do novo coronavírus. Do total, 78% está ocupado, o que configura taxa de ocupação bem próxima ao limite.

“Lembrando que a nossa cidade é responsável por também acolher pacientes de muitos municípios do seu entorno”, pontuam.

Outro ponto levantado é sobre a contaminação de profissionais da saúde que trabalhavam nos atendimentos nas unidades de saúde da cidade, o que provocou dificuldade para conseguir número de profissionais de saúde necessários para montar outros leitos de UTI na cidade.

“ Permaneçam em casa o maior tempo possível e, quando houver necessidade de sair de casa, não saiam com a família toda e usem sempre máscara. Mantenham a distância

segura das pessoas e permaneçam atentos às medidas de higiene  recomendadas pela vigilância sanitária. Não façam nenhum tipo de aglomeração, mesmo em casa com familiares e vizinhos”, completam.