ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, DOMINGO  11    CAMPO GRANDE 28º

Interior

Com nova intervenção, reitor eleito apela a Tribunal para tomar posse na UFGD

Etienne Biasotto pediu que desembargador federal Nery Júnior defina prazo para Governo Bolsonaro cumprir decisão judicial

Por Helio de Freitas, de Dourados | 09/02/2021 17:48
Chamado de “interventor”, Lino Sanabria foi nomeado ontem como reitor temporário da UFGD (Foto: Divulgação)
Chamado de “interventor”, Lino Sanabria foi nomeado ontem como reitor temporário da UFGD (Foto: Divulgação)

O professor Etienne Biasotto, reitor eleito há quase dois anos em consulta interna da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados), mas que até agora não conseguiu assumir o cargo, recorreu hoje (9) ao TRF (Tribunal Regional Federal) da 3ª Região para ser empossado pelo Ministério da Educação.

Em pedido de providências encaminhado ao desembargador federal Nery Júnior, Biasotto cobrou definição de prazo por parte do Tribunal para o Governo Bolsonaro cumprir a decisão da Justiça Federal que reconheceu a eleição interna. Também pediu a nomeação do reitor com base na lista tríplice elaborada em março de 2019.

Vencedor da eleição, Biasotto encabeça a lista tríplice. Outros dois nomes que compõem o documento ignorado pelo MEC são os professores Jones Dari Goettert e Antonio Dari Ramos.

Em 2019, o MEC alegou que não nomearia nenhum deles porque a eleição estava sendo contestada na Justiça pelo MPF (Ministério Público Federal). Meses depois, a ação foi rejeitada pela Justiça Federal em Dourados – decisão mantida pelo TRF no ano passado.

No documento protocolado hoje no TRF3 em São Paulo, Etienne Biasotto cita a nomeação de Lino Sanabria como segundo reitor temporário da UFGD. O professor da Faculdade de Ciências Exatas e Tecnologia e da Faculdade de Engenharia foi nomeado ontem (8) pelo Ministério da Educação para substituir Mirlene Damazio.

Tanto Mirlene, que estava no cargo desde junho, quanto Lino Sanabria são chamados de interventores por boa parte da comunidade acadêmica por serem nomeados mesmo tendo reitor escolhido em processo eleitoral reconhecido pela Justiça Federal.

Ao TRF, Etienne Biasotto chamou de “novo ato atentatório à dignidade da justiça” a nomeação de Lino Sanabria, “rasgando lista tríplice reafirmada válida pelas vias jurisdicionais eleitas”. Na condição de reitor eleito “pelas vias democráticas e com respeito aos procedimentos”, pediu que Nery Júnior estabeleça prazo para o MEC publicar sua nomeação.

Desgastada – O Governo Bolsonaro trocou o reitor temporário da UFGD após Mirlene Ferreira Macedo Damazio acumular atritos com o atual prefeito de Dourados, Alan Guedes (PP), ao dificultar a cedência de servidores de carreira da universidade para trabalhar na prefeitura.

A troca ocorreu menos de uma semana depois de Alan Guedes ser recebido em Brasília pelo ministro da Educação Milton Ribeiro. Ontem, através da assessoria, o prefeito confirmou ter tratado das cedências com o ministro, que prometeu resolver a situação.

Além do professor Henrique Sartori, já cedido e nomeado como secretário municipal de Governo, o prefeito pediu a cedência de outros dois servidores da UFGD, Cleison Marin e Vander Soares Matoso. Os dois pedidos tinham sido negados por Mirlene Damazio.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário