ACOMPANHE-NOS    
MAIO, QUINTA  26    CAMPO GRANDE 21º

Interior

Com UTIs cheias, HR de Ponta Porã arma tendas para 'atendimento primário'

Diante do crescimento da demanda de pacientes com covid-19, espaço pode ainda ser ampliado

Por Nyelder Rodrigues | 02/06/2021 15:47
Tendas vão auxiliar o atendimento de pacientes com covid-19 em Ponta Porã (Foto: Divulgação)
Tendas vão auxiliar o atendimento de pacientes com covid-19 em Ponta Porã (Foto: Divulgação)

Duas tendas foram montadas no Hospital Regional de Ponta Porã - cidade localizada a 323 km de Campo Grande - para receber os pacientes com covid-19 que forem procurar atendimento no local. Com 100% de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) ocupados, o município está atualmente na bandeira vermelha.

As estruturas foram cedidas pela Secretaria Municipal de Segurança Pública e pertencem à Defesa Civil. Nos espaços serão criados leitos de atendimento primário para quem precisar de atenção médica nas dependências do HR.

Caso seja necessário, outras duas tendas podem ser cedidas para o hospital, dobrando a capacidade do espaço, que funcionará como uma espécie de Hospital de Campanha para conseguir atender todas as demandas que surgirem na unidade.

Hoje (2) mesmo a prefeitura ponta-poranense publicou novo decreto aumentando as restrições para conter o avanço da covid. Além de aumentar o horário de vigência do toque de recolher, o deixando entre 20h e 5h, foi proibido a abertura de bares durante o feriado prolongado de Corpus Christi.

Principal unidade hospitalar de Ponta Porã, Regional está com leitos de UTI cheios e na capacidade máxima (Foto: Arquivo)
Principal unidade hospitalar de Ponta Porã, Regional está com leitos de UTI cheios e na capacidade máxima (Foto: Arquivo)

Na sexta-feira (28), o município fronteiriço já havia limitado a 30% a capacidade máxima de ocupação de pessoas em estabelecimentos comerciais, além de proibir uso e narguilés, cigarros eletrônicos e a realização eventos públicos e privados.

Com o novo decreto, fica limitado as reuniões em igrejas para o período máximo de uma hora, com intervalo de cinco horas entre cada encontro. Serviços de delivery de alimentos e bebidas devem respeitar o horário do toque de recolher.

Fiscalização - Para que haja cumprimento das determinações escritas em decreto, a Guarda Municipal fará constante fiscalização na cidade com operações para que o toque de recolher seja respeitado além de outras medidas de distanciamento.

Conforme boletim da SES (Secretaria Estadual de Saúde) desta quarta-feira, desde o começo da pandemia, em março de 2020, Ponta Porã registrou 7.890 casos de covid-19, com 193 mortes pela doença confirmadas no período.

Nos siga no Google Notícias