A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

26/07/2016 13:50

Comércio deve faturar 36% menos com venda de presente para o Dia dos Pais

Pesquisa da Fecomércio apontou que 57,5% dos douradenses pretendem presentear neste ano; valor do presente será menor

Helio de Freitas, de Dourados
Lojas de Dourados devem faturar menos nesse Dia dos Pais (Foto: A. Frota)Lojas de Dourados devem faturar menos nesse Dia dos Pais (Foto: A. Frota)

O faturamento das lojas de Dourados, município a 233 km de Campo Grande, deve encolher 36% no Dia dos Pais deste ano em comparação a 2015, mostra pesquisa da Fecomércio (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Mato Grosso do Sul), feita em parceria com o Sebrae e divulgada hoje (26).

Segundo o levantamento, na segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul a data deve injetar R$ 6,5 milhões no comércio e o valor médio do presente deverá de R$ 115,50. No ano passado, a estimativa foi de R$ 10,2 milhões e o valor do presente chegou a R$ 132.

A pesquisa aponta também que o percentual de consumidores que pretendem presentar nesse Dia dos Pais diminuiu em relação a 2015. Enquanto no ano passado 66% dos entrevistados pretendiam comprar presente, agora o índice caiu para 57,5%, enquanto 39,5% não possuem expectativa de presentear e 3% está indecisa.

O Instituto de Pesquisa da Fecomércio entrevistou 200 pessoas de 8 a 14 de julho em Dourados. Sobre a situação financeira comparada ao ano passado, 44,5% da população acredita que está pior que em 2015.

Entre aqueles que vão presentar, 48,5% vão comprar roupas, 18,9% perfumes e cosméticos e 17,4% vão presentear com calçados. O principal local de compra apontado são as lojas do centro da cidade (78,3%) e a maioria pagará em dinheiro (62,6%). Entre os douradenses que vão comprar presente parcelado, a maioria fará parcelamentos em duas vezes (40,7%).

Comemoração – Para orientar o empresário sobre as expectativas dos clientes, a pesquisa mostra que 61% dos entrevistados pretendem comemorar a data. Desses, 85,2% vão para a casa de familiares ou farão a comemoração em casa, 7,4% vão comemorar em restaurantes, 4,9% viajar e 1,6%pretendem fazer atividades ao ar livre.

A comemoração deve gerar faturamento maior para comércio e serviço que a venda de presentes. O gasto médio deve ser de R$ 126,50 e a movimentação deve chegar a R$ 7,5 milhões. Entre os principais segmentos que poderão ser beneficiados estão mercados, rotisserias, padarias e restaurantes.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions