A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 21 de Agosto de 2019

31/07/2019 15:14

De “parça” a inimigo, a cumplicidade que terminou em assassinato

Dupla que tramou assassinato por ciúmes e vingança e a vítima moravam em bairros próximos e brincavam juntos quando crianças

Helio de Freitas, de Dourados
Ryan Silveira Cardozo (à direita) e Gustavo Pereira em foto publicada na rede social; autor e vítima de assassinato ocorrido em Dourados (Foto: Reprodução)Ryan Silveira Cardozo (à direita) e Gustavo Pereira em foto publicada na rede social; autor e vítima de assassinato ocorrido em Dourados (Foto: Reprodução)

Gustavo da Silva Pereira, 20, e Ryan Silveira Cardozo, 18, vítima e autor do assassinato ocorrido domingo (28) em Dourados, a 233 km de Campo Grande, se criaram juntos na região do Jardim Canaã I, bairro pobre da zona leste de Dourados. Quando crianças conviviam nas brincadeiras de rua e frequentaram as mesmas escolas.

Na juventude, se tornaram amigos, “parças inseparáveis”, como costumavam escrever na legenda de fotos em que apareciam juntos, postadas em redes sociais. “Independente da situação, tamo junto fexadão (sic) – Gustavo Pereira e Ryan Silveira”, foi a postagem feita no Facebook.

Os antigos amigos eram suspeitos inclusive de cometerem crimes juntos. A polícia investiga a participação deles no assassinato de Wellington Silveira da Silva, 19, ocorrido na noite de 20 de setembro de 2017, no cruzamento das ruas Salviano Pedroso e Cabral, na Vila Industrial, região leste de Dourados.

Os dois continuaram aparecendo juntos em postagens nas redes sociais, feitas por eles e pelos amigos que tinham em comum. Nos últimos tempos, no entanto, a realidade mudou.

“Cobiça nossa gata e depois vem pagar de simpatia, nóis te conhece pilantra”, escreveu Ryan Silveira em sua rede social na manhã de quinta-feira (25), três dias antes de ajudar Jhonatan Queiroz do Prado, 20, o “Loirinho”, a planejar o assassinato e emprestar a arma usada para matar Gustavo.

Jhonatan é outro jovem criado no Jardim Canaã I e ex-amigo de Gustavo. Também é investigado como suspeito na morte ocorrida em setembro de 2017 na Vila Industrial.

O motivo alegado por Ryan para justificar o assassinato do ex-amigo foi ciúme. Ele disse que Gustavo se envolveu com uma ex-namorada. Ryan não aceitava o fim do relacionamento e se sentiu traído pelo amigo ter ficado com sua ex.

“Ele pegou minha ex-namorada e matou o amigo do meu parceiro. Do mesmo jeito que ele não perdoou, a gente também não perdoa. Esse é o fim para todos que pegam mulher dos outros”, disse Ryan, hoje de manhã, ao ser apresentado pela polícia.

Jhonatan alega que se aliou a Ryan para matar Gustavo em vingança ao amigo, Matheus Nunes Landim, morto com pelo menos 50 facadas aos 16 anos de idade, em novembro de 2017. A polícia confirma que Gustavo era um dos suspeitos, mas não teria sido ele o autor das facadas.

Policiais afirmam que além dessas desavenças, os antigos amigos tinham inveja de Gustavo. O rapaz tinha uma moto Yamaha Lander 250 cilindradas e fazia sucesso entre as garotas do bairro.

Além de Ryan e Jhonatan, também está preso pelo assassinato de Gustavo outro amigo da vítima, Matheus Henrique Machado Souza, 22. Único que mantinha contato com Gustavo, Matheus telefonou para o rapaz e o atraiu até o campinho de futebol do Jardim Canaã I, onde o amigo foi morto com três tiros. Ele nega e diz que foi apenas “coincidência”.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions