A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 10 de Dezembro de 2017

21/07/2016 07:15

Dois são mortos a tiros na madrugada em Ponta Porã e Pedro Juan

Crimes ocorreram em pontos distintos da fronteira com intervalo de 40 minutos; no lado brasileiro vítima foi um produtor de eventos; já no Paraguai, morto era segurança de uma loja de importados

Helio de Freitas, de Dourados
Brasileiro foi morto dentro do carro em Ponta Porã (Foto: Porã News)Brasileiro foi morto dentro do carro em Ponta Porã (Foto: Porã News)

Duas pessoas foram executadas a tiros na madrugada de hoje (21) na linha de fronteira do Brasil com o Paraguai. As mortes ocorreram em Ponta Porã, a 323 km de Campo Grande, e em Pedro Juan Caballero, do lado paraguaio. Por enquanto não há indícios de ligação entre os casos.

Por volta de 2h, em Ponta Porã, o produtor de eventos brasileiro Alexandre Lourenço da Silva, 42, o “Malicia”, foi executado com seis tiros, possivelmente de revólver calibre 38. Ele foi morto dentro do carro que dirigia, um Fiat Uno vermelho, placa HSC-8152, de Ponta Porã.

Segundo informações apuradas pela polícia, Alexandre teria discutido com um homem em Pedro Juan Caballero momentos antes de ser morto e seguiu para o lado brasileiro da fronteira. O homem, que estava em uma moto estrangeira, foi atrás e quando alcançou o carro do brasileiro, na Avenida Brasil, houve novo bate-boca e o homem na moto disparou seis tiros em Alexandre, que morreu no local.

A primeira suspeita que surgiu ainda no local do crime é de que a morte do produtor de eventos tenha sido por motivos passionais. O caso será investigado por agentes do Siato (Setor de Investigação e Apoio Tático Operacional) da Polícia Civil.

Pedro Juan – Quarenta minutos depois da morte de Alexandre, o paraguaio Arcênio González Núñez, 54, que trabalhava como segurança de uma loja de materiais de construção em Pedro Juan Caballero, foi executado a tiros na calçada da Avenida Mariscal López, esquina com Rua Humaitá, no bairro Mariscal Estigarribia.

Policiais paraguaios acreditam que o segurança tenha sido morto durante um assalto. Arcênio foi surpreendido pelos bandidos, dominado e executado com pelo menos três tiros de revólver calibre 38. A suspeita é que os assaltantes tenham usado a própria arma do segurança para cometer o crime.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions