ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUINTA  11    CAMPO GRANDE 13º

Interior

Douradense enfrenta escuridão para caminhar em parque de R$ 6 milhões

Prefeitura arrecadou R$ 8,1 milhões com taxa de iluminação pública neste ano, mas maior pista da cidade está às escuras e com mato ocupando espaço destinado à caminhada e corrida

Por Helio de Freitas, de Dourados | 19/07/2018 13:17
Moradores caminham em trecho escuro do Parque Rego D’Água, na região sul de Dourados (Foto: Helio de Freitas)
Moradores caminham em trecho escuro do Parque Rego D’Água, na região sul de Dourados (Foto: Helio de Freitas)

A obra consumiu pelo menos R$ 6,1 milhões em dinheiro público, a prefeitura já arrecadou neste ano R$ 8,1 milhões com a taxa de iluminação pública cobrada dos consumidores de energia elétrica, mas a maior pista de caminhada de Dourados, cidade a 233 km de Campo Grande, está às escuras.

A escuridão coloca em risco centenas de douradenses que todos os dias caminham na pista do Parque Ambiental Rego D’Água, localizado no Grande Água Boa, região sul da segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul.

Na noite desta quarta-feira (18), o Campo Grande News constatou que há dezena de lâmpadas queimadas na rede que ilumina a pista de caminhada. Com dois quilômetros de extensão, a pista circunda todo o parque, instalado em uma gigantesca área de preservação ambiental com dois lagos artificiais.

Em alguns trechos, a escuridão é total já que falta iluminação também na rua. Isso acontece em um trecho da pista na Rua Pureza de Carneiro Alves, que liga o Água Boa à região da Vila Cachoeirinha. Ali a única iluminação é a dos carros que passam na rua.

Também há trechos na completa escuridão em todas as demais ruas que passam ao lado do parque. As pessoas em trechos totalmente escuros, como mostra o vídeo abaixo.

O único trecho totalmente iluminado fica em frente ao centro de ensino profissionalizante, construído pelo governo do Estado e que atualmente abriga o Ceesa (Centro de Educação de Jovens e Adultos).

“É lamentável que nosso parque esteja abandonado dessa forma. Além da escuridão para quem caminha à noite, a pista está cheia de mato e isso porque não chove há quase dois meses na cidade”, afirmou uma moradora que procurou a reportagem para reclamar da situação da pista de caminhada.

Iniciada em 2004, a construção do parque levou dez anos e foi inaugurada em 2014, ainda inacabada. O Campo Grande News procurou a assessoria de imprensa da prefeitura para saber da previsão de manutenção da iluminação no entorno do parque, mas não obteve resposta.

No portal da transparência da prefeitura é possível constatar que o município arrecadou R$ 8,1 milhões com a contribuição para manutenção da iluminação pública, a Cosip, cobrada na conta de energia elétrica dos 215 mil habitantes da cidade.

Nos siga no Google Notícias