ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, QUARTA  22    CAMPO GRANDE 24º

Interior

Em ano de escândalo, prefeitura vai gastar meio milhão com Maiara e Maraísa

Ao todo, o desembolso será de R$ 677 mil com a dupla sertaneja, Fernandinho e Tchê Garotos

Aline dos Santos | 08/09/2023 11:05
Gravação de show de Maiara e Maraísa em Portugal. (Foto: Reprodução/Instagram)
Gravação de show de Maiara e Maraísa em Portugal. (Foto: Reprodução/Instagram)

No ano marcado por escândalos, com duas operações do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) contra a corrupção, a prefeitura de Sidrolândia vai gastar meio milhão de reais com show de Maiara e Maraísa. Ao todo, o desembolso será de R$ 677 mil com a dupla sertaneja, o cantor gospel Fernandinho e a banda Tchê Garotos. A próxima data festiva no município é 11 de dezembro, quando Sidrolândia comemora 70 anos.

Os avisos da abertura de procedimento administrativos para contração dos shows, sem licitação, foram publicados no Diário Oficial da última terça-feira (dia 5). A apresentação mais cara será da dupla sertaneja Maiara e Maraísa, com custo de R$ 504 mil.

O documento, assinado pela prefeita Vanda Cristina Camilo (PP), torna público que a prefeitura abriu procedimento de inexigibilidade de contratação de apresentação artística de Maiara e Maraísa. Conforme a administração, o procedimento atende de “forma satisfatória as necessidades precípuas do município” de acordo com a Lei de Licitações.

Conforme a Lei Federal 8.666, é inexigível a licitação quando houver inviabilidade de competição, em especial para “contratação de profissional de qualquer setor artístico, diretamente ou através de empresário exclusivo, desde que consagrado pela crítica especializada ou pela opinião pública”.

O contrato será com a empresa Show Completo Produções Artísticas Ltda. Inicialmente, em 5 de setembro, a empresa divulgada era Faz Chover Show Completo Produções Artísticas Ltda. Mas, nesta sexta-feira (dia 8), houve a retificação do nome.

Também sem licitação, o show de Fernandinho terá custo de R$ 125 mil. O contrato será com a Faz Chover Produções Artísticas e Musicais Ltda. A terceira contratação será da empresa Tchê Garotos Ltda. O show da banda vai custar R$ 48 mil.

A reportagem entrou em contato com a prefeita Vanda Camilo e explicou que buscava informações sobre os shows nacionais. A prefeita enviou a seguinte resposta: “Me fala qual município não comemorou o aniversário da cidade? Reserva financeira feita em janeiro. Mas se você quiser prestigiar mais à frente te passo a data”.

O Campo Grande News questionou a data do evento e se o valor será integralmente custeado pela prefeitura, mas não recebeu resposta até a publicação da matéria.

Fachada da Prefeitura de Sidrolândia, a 71 km de Campo Grande. (Foto: Marcos Maluf)
Fachada da Prefeitura de Sidrolândia, a 71 km de Campo Grande. (Foto: Marcos Maluf)

Tromper – O Gaeco deflagrou duas fases da operação Tromper (palavra francesa que significa enganar) neste ano em Sidrolândia, que fica a 71 km de Campo Grande e tem 47.118 habitantes.

Em 18 de maio, na primeira etapa, foram recolhidas provas para investigar a existência de esquema de corrupção na prefeitura, que funcionaria desde 2017, destinado à obtenção de vantagens ilícitas por meio da prática de crimes de peculato, falsidade ideológica, fraude às licitações, associação criminosa e sonegação fiscal.

Os investigadores informaram que grupo criminoso abria empresas ou se aproveitava da existência de cadastramentos para incrementar o objeto social sem que o estabelecimento comercial apresentasse experiência, estrutura ou capacidade técnica para execução do serviço contratado ou fornecimento do material adquirido pelo município.

Na ocasião, a prefeita declarou que estava tranquila e acompanhava os desdobramentos.

A segunda fase da Tromper foi realizada em 21 de julho, com as prisões de servidor e empresários. Na sequência, a prefeita publicou decreto rescindido contrato com as empresas investigadas.

Em agosto, o MPMS (Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul) denunciou 10 pessoas suspeitas de crimes de corrupção e fraude em licitações A promotoria aponta que as fraudes ocorriam há quatro anos e pede indenizações que somam R$ 349 mil.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para entrar na lista VIP do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias