A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

09/08/2016 14:56

Empresário morto tinha atropelado 2 pessoas e subornou policiais no MT

Jaime Gustavo Nystron atropelou dois motociclistas em 2011 em Cuiabá, mas escapou do flagrante; policiais que não fizeram ocorrência foram denunciados pelo MP por corrupção passiva

Helio de Freitas, de Dourados
Piloto foi executado por pistoleiros dentro do carro, ontem em Ponta Porã (Foto: Leo Veras)Piloto foi executado por pistoleiros dentro do carro, ontem em Ponta Porã (Foto: Leo Veras)
Jaime Gustavo Nystron (Foto: Reprodução/Facebook)Jaime Gustavo Nystron (Foto: Reprodução/Facebook)

O empresário Jaime Gustavo Nystron, 36, executado com pelo menos 38 tiros de submetralhadora calibre 9 milímetros na noite de segunda-feira (8) em Ponta Porã, a 323 km de Campo Grande, tinha sido acusado de atropelar dois motociclistas em Cuiabá (MT) e de subornar policiais militares mato-grossenses para escapar do flagrante. A suspeita era de que ele estava embriagado no momento do acidente, ocorrido em outubro de 2011.

De acordo com policiais pontaporanenses que atuam nas investigações sobre a execução, Jaime Nystron, que já tinha trabalhado em campanhas políticas no Mato Grosso, era suspeito de dirigir um carro em alta velocidade e com sinais de embriaguez quando atropelou os dois motociclistas na Ponte Nova, em Cuiabá.

O caso teve grande repercussão na capital mato-grossense porque o acidente foi gravado por uma equipe de televisão que fazia uma reportagem sobre a recuperação da estrada.

Apesar da gravidade do acidente – uma das vítimas chegou a ter fratura no crânio – Jaime Nystron não foi autuado por dois policiais militares que atenderam o caso.

Há três anos, o Ministério Público do estado vizinho denunciou os dois policiais por corrupção passiva e falsidade ideológica. Indícios apontavam que o piloto teria subornado os policiais para que eles não o citassem na ocorrência como causador do acidente nem seu visível estado de embriaguez.

A execução - Dono de uma empresa de aviação agrícola em Ponta Porã, Jaime Nystron estava em um Gol preto com placa de Cuiabá e chegava em casa na rua Aeroporto Guararapes, no bairro Jardim Aeroporto, quando foi atingido pelos tiros e morreu na hora.

A polícia investiga também se o empresário tinha ligações com o crime organizado na fronteira. Piloto de avião é um dos profissionais mais requisitados na Linha Internacional para atuar no transporte de drogas, mas os policiais dizem que não existem indícios da ligação dele com o narcotráfico.



Não era filhinho de papai? Cadê seu dinheiro numa hora dessa e cadê suas piriguetes? KKKKKKK.
 
Leandro Santos de Carvalho em 10/08/2016 09:58:43
A justiça tarda mais não falha
 
Alex André de Souza em 09/08/2016 18:29:39
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions