ACOMPANHE-NOS    
MAIO, SEGUNDA  10    CAMPO GRANDE 22º

Interior

"Foi mais maldade que ciúmes", diz mulher após ex matar rival e atropelar bebê

Ângelo Maria Felix, de 51 anos, está foragido desde terça-feira, quando cometeu o crime

Por Viviane Oliveira | 16/04/2021 11:38
Wagner morreu atropelado e a filha do casal se recupera na Santa Casa (Foto: arquivo da família)
Wagner morreu atropelado e a filha do casal se recupera na Santa Casa (Foto: arquivo da família)

“Foi mais maldade do que ciúmes”. O desabafo é de Laudicéia Gonçalves Dias, 36 anos, que na última terça-feira (13) viu o marido, Wagner da Silva de Assis, de 30 anos, morrer atropelado e a filha, que vai completar 2 meses amanhã,  ficar ferida. O responsável pelo crime é o ex-marido dela, Ângelo Maria Félix, de 51 anos. Ele ainda está foragido.

A criança sofreu politraumatismo e está internada na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) pediátrica da Santa Casa.  O caso aconteceu em Rio Verde de Mato Grosso, município distante 207 quilômetros de Campo Grande. Laudiceia está acompanhando a filha no hospital e falou com a reportagem por telefone, na manhã desta sexta-feira (16).

“Eu ainda estou digerindo tudo o que aconteceu. Não desejo isso pra ninguém”, afirma a mulher.

Laudiceia contou que viveu com Ângelo durante 11 anos e dessa relação tem um filho de 14 anos. Depois de 3 anos separados, ela se casou com Wagner e teve a bebê. O autor já havia ameaçado a vítima de morte e o motivo usado por ele seria a casa, onde Laudiceia morava com Wagner e os dois filhos.

Como o Ângelo mora na fazenda onde trabalhava, a gente vivia no imóvel. No domingo à noite, ele disse que se o Wagner não saísse da casa, iria matá-lo. Ele saiu, mas não adiantou”, lamentou a agora viúva.

Depois do crime, Ângelo ligou para a irmã da vítima dizendo que não sabia que Wagner estava empurrando o carrinho com a criança. “A intenção dele era ferir só o Wagner”, acredita Laudiceia

Laudiceia com Wagner e a caçula (Foto: arquivo / familiar)
Laudiceia com Wagner e a caçula (Foto: arquivo / familiar)

Segundo ela, nunca sofreu violência doméstica enquanto esteve casada com Ângelo, mas admite que o ex não gostava de ser contrariado. "O meu filho mais velho parece não acreditar no que aconteceu", diz.

Caso - Na tarde de terça-feira, Laudiceia e Wagner, que levava a criança no carrinho de bebê, seguia pela Rua Rio Grande do Sul, no Bairro Nova Rio Verde, quando Ângelo avistou ambos caminhando e acelerou o veículo, um Fiat uno, de cor vinho, em direção aos três.

Wagner sofreu ferimentos graves e foi socorrido pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) ao hospital da cidade, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Com o impacto da batida, a bebê, segundo testemunhas, foi arremessada do carrinho e rolou pelo asfalto. Ela teve traumatismo craniano e devido aos ferimentos veio transferida para Campo Grande. Laudiceia ficou em estado de choque. Ela também recebeu atendimento médico e passou por uma psicóloga. À polícia, testemunhas e familiares disseram que o autor não aceitava o fim do relacionamento.

Ângelo continua foragido (Foto: divulgação) 
Ângelo continua foragido (Foto: divulgação)

Ele foi autuado por tentativa de feminicídio, tentativa de homicídio com aumento de pena em razão da idade da criança, homicídio doloso qualificado pelo motivo torpe e posse irregular de arma de fogo. Quem souber do paradeiro de Ângelo, pode entrar em contato com a delegacia de Rio Verde pelo número (67) 3292-1528.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário