A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

05/11/2015 09:38

Frigorífico começa a operar em abril com abate de 150 bovinos por dia

Caroline Maldonado
Em junho deste ano, prefeito Paulo Duarte (PT) visitou obras do frigorífico (Foto: Divulgação/Prefeitura)Em junho deste ano, prefeito Paulo Duarte (PT) visitou obras do frigorífico (Foto: Divulgação/Prefeitura)

A pecuária é o forte da economia de Corumbá, mas o município tem apenas um frigorífico em operação atualmente e outro foi fechado há cerca de dois anos. Para abril do ano que vem está previsto o início da operação do frigorífico da Ema (Empresa Marinho de Agropecuária do Pantanal Ltda). Com isso, serão abatidos 150 cabeças por dia e as atividades vão gerar 85 empregos diretos, segundo o secretário de Indústria e Comércio, Pedro Paulo Marinho.

O empreendimento, na BR-262, pertence a empresa que já atua na cria, recria, engorda e distribuição. O objetivo é abater para o consumo interno a princípio, mas o mercado externo também está nos planos, segundo o secretário.

“Isso vai ser muito bom para a cidade, pois hoje o mercado de consumo de carne suporta dois frigoríficos aqui. Tem um pequeno, que abatia média de 30 cabeças por dia, mas está desativado há cerca de dois anos e outro com mais de 20 anos”, comentou o secretário, referindo-se ao frigorífico Boi Brasil, grupo de Goiás.

O secretário explica que a pecuária do município está focada na criação para comercialização de animal vivo, ou seja, que vai para o abate em outros Estados. “Hoje, o forte é isso. Não na parte de engorda. Corumbá deve consumir no máximo 250 cabeças por dias e ainda tem influência de frigorífico de fora que põe carne no mercado daqui”.

O novo frigorífico deve incrementar a economia local e há expectativa quanto a expansão do negócio. “A instalação é positiva para o município. A gente tem potencial de exportar a carne para o exterior. A empresa não vai terceirizar serviço, então não entra o ISS (Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza), mas com relação a comercialização, o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) teremos um incremento, além da geração de emprego”, comentou Pedro.

Jacaré – Em 2016, Corumbá terá também um frigorífico de jacaré. A previsão inicial era de que o abate começasse em junho de 2016, mas o negócio deve começar no fim do ano que vem, segundo secretário. A planta está sendo construída em uma área de 150 hectares, na BR-262, onde já há criação de jacarés.

“Eles estão em construção e na fase de cria do jacaré, pois demora cerca de um ano e meio para que o animal possa ir para o abate. O negócio é de um grupo de fora, um brasileiro que mora na Bolívia em sociedade com um empresário, que fazia parte do frigorífico de jacarés de Cáceres, o único no Brasil até então”, contou. Com a obra que tem investimento de R$ R$ 9,7 milhões, o município deve ganhar mais 85 empregos diretos.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions