ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, TERÇA  09    CAMPO GRANDE 13º

Interior

Homem é condenado a 40 anos de prisão por estuprar filha e enteada

Meninas tinham entre 10 e 14 anos quando abusos foram cometidos pelo autor

Por Ana Paula Chuva | 06/07/2022 13:35
Fachada do Fórum de Aquidauana, cidade onde crimes aconteceram. (Foto: O Pantaneiro)
Fachada do Fórum de Aquidauana, cidade onde crimes aconteceram. (Foto: O Pantaneiro)

Homem de 38 anos, foi condenado a 40 anos de prisão, por estuprar a filha dos 10 aos 12 anos e a enteada dos 12 aos 14 anos, em uma propriedade rural, em Aquidauana, cidade a 141 quilômetros de Campo Grande. Os crimes aconteceram entre 2017 e 2020.

Conforme a denúncia, o autor vivia em união estável com a mãe da enteada, há aproximadamente 11 anos. O casal não tinha filhos em comum, mas o homem já tinha dois de outro relacionamento, sendo um deles a menina de 10 anos. Todos moravam na mesma casa.

Ainda segundo o relato da ação penal, os abusos começaram com a menina de 12 anos, em 2017. Com a enteada, por diversas vezes, o autor praticou atos libidinosos e chegou a ameaçar a vítima que mataria todas as pessoas que ela gostava, caso contasse a alguém.

Já com a filha, o crime começou a ser cometido em 2018, quando ela tinha 10 anos. De acordo com os autos, os abusos aconteciam todas as noites e começaram com o homem passando a mão em seu corpo e depois de um tempo, ele passou a dormir com a criança e a estuprar.

Os estupros foram cometidos por anos, tanto que uma das meninas fingia estar menstruada para o pai não tocasse nela. As duas chegaram a relatar uma para a outra os abusos sofridos e o autor ameaçou ambas dizendo que mataria as duas e a mãe de uma delas. “Eu mato as três, fujo e nunca vão me encontrar”, disse o homem.

No entanto, o caso veio a tona em junho de 2020, através de uma denúncia feita ao Conselho Tutelar pelo Disque 100. O relato era de uma menina menor de idade, estaria sendo vítima de abuso sexual praticado pelo pai. Os conselheiros foram até a casa da família e confirmara o caso.

Com isso, o homem foi julgado e condenado a 40 anos de prisão pelos estupros cometidos, sendo 20 anos por cada vítima, sem direito a recorrer em liberdade. Além de pagar R$ 3 mil de indenização para cada uma das meninas. No entanto, foi afastado o concurso material, ou seja, as penas não se somam mais, e ele deverá cumprir apenas metade da sentença.

Nos siga no Google Notícias