ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, SEXTA  28    CAMPO GRANDE 22º

Interior

Homem mata esposa e filho de apenas 10 anos

Ele tentou se matar após assassinatos; mulher é irmã de comandante da Guarda Civil

Por Guilherme Correia e Helio de Freitas, de Dourados | 05/12/2021 13:51
Maurílio Arcanjo, de 62 anos, é suspeito de ter matado mulher e filho, em Ponta Porã. (Foto: Direto das Ruas)
Maurílio Arcanjo, de 62 anos, é suspeito de ter matado mulher e filho, em Ponta Porã. (Foto: Direto das Ruas)

Na madrugada deste domingo (5), mulher, de 37 anos, foi vítima de feminicídio em Ponta Porã, município a 313 quilômetros de Campo Grande, junto ao filho. A polícia não soube precisar, mas diz que a criança tinha entre 7 e 10 anos.

De acordo com o secretário municipal de Segurança Pública, Marcelino Nunes, ela era irmã do comandante da GCMFron (Guarda Civil Municipal de Fronteira), Juliano Luiz Perez Gomes. Ele também contou que, pelo posição dos corpos, o menino teria se jogado na frente da mãe para evitar que o tiro a atingisse.

O caso aconteceu na Rua Homenelio Marques, no Bairro Kamel Saad, por volta das 2h. Equipe do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) ouviu disparos em uma casa, onde estava o suspeito caído ao chão.

Conforme boletim de ocorrência, Maurílio Arcanjo, de 62 anos, será investigado por ter matado a própria esposa e a criança. Conforme apurado pela reportagem, ele também tentou se suicidar. O local do crime foi preservado e isolado pela perícia técnica para a investigação.

Os profissionais de saúde acionaram a PM (Polícia Militar) e, junto a dois policiais, entraram na casa. Maurílio agonizava em meio a uma poça de sangue, com um revólver de calibre 38 ao lado.

Em seguida, encontraram dois corpos sobre uma cama de casal, em um dos quartos da casa, com a vítima, de 33 anos, e a criança, que tinha entre sete e nove anos. No quarto, havia várias cápsulas de bala e uma caixa de munições, além de rastros de sangue que levavam até a varanda da casa, onde o homem foi encontrado.

Em relato à polícia, vizinhos disseram que ele era violento com a própria família. Ele já tinha passagens criminais por porte ilegal de arma de fogo, lesão corporal dolosa, quando há intenção, e ameaça em violência doméstica.

Atualmente, o suspeito está internado em estado grave no Hospital Regional de Ponta Porã, após passar por cirurgia. Na sala de cirurgia, constataram que ele tinha duas perfurações no peito e algumas queimaduras. Ao menos cinco tiros foram disparados no tórax da mulher e dois na criança.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário