ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, QUINTA  20    CAMPO GRANDE 22º

Interior

Identificado homem carbonizado em caminhonete entre Aral Moreira e Sapucaia

Antonio Valdir da Silva tinha 40 anos de idade e era natural de Araguari, Minas Gerais; polícia ainda sem pista de criminosos

Helio de Freitas, de Dourados | 11/07/2016 13:24
Nissan Frontier foi encontrada carbonizada, a 200 metros da Linha Internacional (Foto: Leo Veras)
Nissan Frontier foi encontrada carbonizada, a 200 metros da Linha Internacional (Foto: Leo Veras)
Antonio Valdir da Silva era natural de Araguari (Foto: Reprodução)
Antonio Valdir da Silva era natural de Araguari (Foto: Reprodução)

Foi identificado no início da tarde desta segunda-feira (11) o homem carbonizado dentro de uma caminhonete Nissan Frontier cabine dupla, também queimada, encontrada na tarde deste domingo na estrada que liga Aral Moreira a Coronel Sapucaia, a 400 km de Campo Grande.

De acordo com policiais civis de Ponta Porã, para onde o corpo foi levado, Antonio Valdir da Silva, 40, foi reconhecido por familiares. Natural de Araguari, cidade do interior de Minas Gerais, Antonio morava em Aral Moreira e pelo menos até agora a polícia não encontrou antecedentes criminais.

A caminhonete totalmente queimada foi encontrada por moradores que passavam pela estrada vicinal e chamaram a Polícia Militar. A suspeita é que o crime tenha ocorrido na madrugada de domingo. O caso será investigado pela delegacia de Aral Moreira.

Fronteira em guerra – Na região de fronteira do Brasil com o Paraguai existe atualmente uma guerra pelo controle do comando do narcotráfico e do tráfico de armas para o Brasil.

As mortes violentas aumentaram depois de setembro do ano passado, mês em que o ex-prefeito de Ponta Porã e ex-deputado federal Oscar Goldoni foi executado a tiros de fuzil no centro da cidade.

No mês passado, o chefão do narcotráfico na fronteira, Jorge Rafaat Toumani, foi executado a tiros de metralhadora antiaérea calibre 50 em um plano que envolveu pelo menos cem pistoleiros. Segundo a polícia paraguaia, a morte foi planejada por criminosos brasileiros para tomar o controle que era de Rafaat.

Nos siga no Google Notícias