ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, QUINTA  21    CAMPO GRANDE 22º

Interior

Idoso acusado de estuprar 2 adolescentes morre antes de ser julgado

Casos aconteceram em Paranaíba, em 2019; uma das vítima era adolescente de 15 anos, deficiente mental

Por Silvia Frias | 25/11/2020 17:13
Vista aérea de Paranaíba, onde ocorreu o caso. (Foto: Divulgação)
Vista aérea de Paranaíba, onde ocorreu o caso. (Foto: Divulgação)

Um idoso de 70 anos, acusado de estuprar dois adolescentes de 14 e 15 anos, um deles, deficiente mental, morreu antes de ser julgado pelos crimes, em Paranaíba, a 370 quilômetros de Campo Grande. Os abusos foram descobertos em 2019 e a denúncia formalizada em outubro deste ano.

Os estupros foram descobertos após denúncia anônima. Consta na ação do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), de 28 de outubro, que os abusos em relação ao adolescente de 15 anos, deficiente mental, ocorreram entre os meses de janeiro a setembro de 2019, em uma fazenda do município, de propriedade do sogro dele, mas administrada pelo acusado.

O idoso teria permitido que a família do adolescente morasse em uma casa na propriedade, gratuitamente, para ajudá-los. Consta na denúncia que, um dia, pediu que o garoto fosse até a sede da fazenda para fazer limpeza no quintal.

Na casa, o adolescente foi agarrado e tocado nas partes íntimas, seguido do ato sexual. Os estupros, segundo denúncia, aconteceram “reiteradas vezes” de janeiro a setembro de 2019.

Durante a investigação, foi descoberta outra vítima de estupro,  adolescente de 14 anos. Neste  caso, o jovem morava em fazenda na região e o idoso ia até a casa dos pais dele buscá-lo, para que dormisse na propriedade em Paranaíba.

Segundo denúncia, os pais, alcoólatras, permitiam a ida do garoto até a fazenda em troca de bebida e, depois, souberam o que ocorria, mas não tomaram qualquer providência.

No despacho assinado pela juíza Nária Cassiana Barros, consta a extinção de punibilidade contra o réu, depois da anexação do atestado de óbito. A morte aconteceu no dia 6 de novembro, por choque séptico, decorrente de infecção de origem indeterminada.

A denúncia ainda foi mantida contra os pais do adolescente de 14 anos, que respondem ao processo em liberdade. Por esse motivo, a Justiça cancelou a audiência marcada para 3 de dezembro, agora, sem data prevista. Nessa sessão, as testemunhas do caso são ouvidas, como parte do trâmite que levará até a sentença dos acusados.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário