ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, DOMINGO  14    CAMPO GRANDE 20º

Interior

Indígenas retomam bloqueios em 3 estradas de MS

Rodovias estaduais MS-156 e MS-379 já estão interditadas, assim como a BR-163, em Naviraí

Por Helio de Freitas, de Dourados | 08/09/2021 09:50
Bloqueio da MS-379, na região de Panambi, em Dourados, nesta quarta. (Foto: Direto das Ruas)
Bloqueio da MS-379, na região de Panambi, em Dourados, nesta quarta. (Foto: Direto das Ruas)

Foram retomados nesta quarta-feira (8), os bloqueios de rodovias federais e estaduais por povos indígenas em protesto contra a tese de marco temporal, em andamento no STF (Supremo Tribunal Federal). Hoje, os ministros da Corte devem começar a votar o recurso, que pode afetar as demarcações de terras indígenas em todo o País.

Já estão bloqueadas a MS-379 entre o distrito de Panambi (Dourados) e Douradina, a MS-156 entre Dourados e Itaporã e a BR-163, no município de Naviraí.

Também na BR-163, mas em Dourados, há movimentação de moradores de acampamento perto do Restaurante Kanoa. Policiais rodoviários federais estão no local. A estrada ainda não foi bloqueada, mas os indígenas estão se preparando, segundo a PRF.

Hoje, os ministros do STF devem começar a apresentar seus votos. O primeiro a se manifestar será o relator do processo, o ministro Edson Fachin. Ele já antecipou que o voto é favorável aos povos indígenas, ou seja, contra o marco temporal.

O marco temporal estabelece que os indígenas só poderiam reivindicar terras onde já estavam na data da promulgação da Constituição de 1988. Comunidades e entidades de defesa dos povos tradicionais apontam “prejuízo irreparável” aos indígenas se a tese for aprovada.

Segundo especialistas, existe possibilidade de outro ministro do STF pedir vistas e o caso não ser resolvido hoje. O marco temporal é defendido por ruralistas e pelo presidente Jair Bolsonaro.

Nos siga no Google Notícias