A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 27 de Fevereiro de 2017

30/10/2013 14:22

Índios plantam lavoura em 300 hectares de fazendas invadidas em Sidrolândia

Edivaldo Bitencourt
Índios trabalham no cultivo de milho em área invadida em Sidrolândia (Foto: Divulgação)Índios trabalham no cultivo de milho em área invadida em Sidrolândia (Foto: Divulgação)

Os índios plantaram em aproximadamente 300 hectares das seis fazendas ocupadas em Sidrolândia, a 70 quilômetros de Campo Grande. Eles contaram com o apoio da Funai (Fundação Nacional do Índio), que doou óleo diesel para o cultivo de diversas culturas, desde feijão até milho.

Desde maio deste ano, os índios ocupam as fazendas Buriti, Lindóia, Cambará, Estrela, São José e 3R. Segundo o coordenador técnico da fundação, Jorge Antônio das Neves, os índios plantaram abóbora, melancia, milho, feijão de corda e arroz, entre outros.

Segundo Neves, a Funai doou óleo diesel para os tratorees utilizados no preparo da terra. Foram doados aproximadamente R$ 50 mil em combustível. Os índios compraram sementes e insumos. 

Durante o plantio, nesta semana, os indígenas comemoraram, nesta semana, o plantio na área. Eles portavam cartazes com a frase "área retomada", como eles definem as áreas consideradas tradicionalmente indígenas que foram reconhecidas pelo Governo federal. 

Eles estão nas áreas desde maio deste ano, quando a tentativa de desocupação causou a morte do índio Oziel Gabriel durante confronto com a Polícia.

Os índios exigem a ampliação da reserva Buriti de 2.090 hectares para 17 mil hectares. No entanto, a entrega das 28 propriedades rurais depende do pagamento das indenizações pelo Governo federal. Um grupo de técnicos estão na região fazendo o levantamento das benfeitorias e do valor da terra nua.

Estima-se que o valor total das indenizações fique em torno de R$ 200 milhões. A Funai já concluiu o levantamento da benfeitoria em 25 das 28 propriedades. Os donos das fazendas Cascata, Furna da Estrela e Água Clara impediram o acesso às propriedades. Um dos donos, o prefeito de Sidrolândia, Ary Basso (PSDB), justificou o veto. “Nossa terra não está a venda e só vamos permitir o acesso com ordem judicial”, explicou o tucano.

Os índios esperam uma solução, a entrega das terras, até 30 de novembro deste ano. No entanto, o pagamento da indenização depende da disponibilização de recursos pela União.

Prefeito e mais dois produtores impedem vistoria em fazendas de Sidrolândia
O grupo, criado pelo Ministério da Justiça e pelo Governo do Estado para levar o valor das terras que vão compor a reserva Buriti, foi impedido de fa...
Representante é proibido de verificar como está a Buriti
Dono da fazenda Buriti, em Sidrolândia, Ricardo Bacha denunciou que foi proibido por indígenas, que estão na propriedade, de verificar como estão as ...



300 ect. é só o começo ano q vem tem mais aguarde.
 
Sol Clementino em 10/11/2013 15:51:12
De uma área de mais de 5.000, plantou 300, e ainda plantou cultura de subsistência...
Índio é improdutivo sim.
 
Jair Bastos em 31/10/2013 08:25:22
300 hectares cultivados? Mas 'índio' não é improdutivo?
 
Carlos Cordeiro em 30/10/2013 15:44:09
Está na hora de os verdadeiros donos das terras atearem fogo nessas plantações!! Se não houver pagamento, teme-se pela vida de muitos indígenas!!
 
mauricio palmieri em 30/10/2013 15:37:38
Estão plantando o útil para a própria sobrevivência. Queriam que plantassem capim pra cavalo e vaca? A FUNAI é a FAMASUL dos fazendeiros e cumpre com suas obrigações constitucionais apoiando a comunidade em seus direitos. Se dependermos de políticos, estamos lascados !!! Parabéns a Nação Terena do Buriti pela colheita de bons frutos e preparar o MESMO solo pra próxima!!!
 
samuel gomes-campogrande em 30/10/2013 15:03:49
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions